Dinamarca vai acusar inventor do homicídio da jornalista sueca Kim Wall

A alteração à acusação de Peter Madsen foi proposta após a descoberta do torso da jornalista sueca Kim Wall, que estava desaparecida

Peter Madsen será acusado de homicídio quando comparecer em tribunal, no início do mês de setembro, e não de homicídio involuntário.

Na segunda-feira, o torso sem cabeça nem membros da jornalista sueca Kim Wall, que estava desaparecida, foi encontrado junto à água em Copenhaga, o que levou os responsáveis pela acusação a alterar o crime de que Peter Madsen, engenheiro aeroespacial e construtor de submarinos, estava acusado.

Inicialmente, Madsen afirmou que havia deixado a jornalista em segurança, perto de Copenhaga. Horas antes de o torso ser encontrado, o engenheiro aeroespacial alterou a versão da história, tendo dito à polícia que a jornalista sofrera um acidente dentro do submarino e que deitara o cadáver ao mar em local indefinido na baía de Koge, na Dinamarca.

De acordo com a BBC, a polícia dinamarquesa acredita que Madsen afundou deliberadamente o submarino UC3 Nautilus, após o início das buscas pela jornalista.

Kim Wall foi vista pela última vez a 10 de agosto, depois de ter subido a bordo do UC3 Nautilus -- um submarino de quase 18 metros de largura e 40 toneladas -- para entrevistar o seu inventor.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG