Destruição de satélite de comunicações em explosão nos EUA preocupa Israel

A destruição do satélite israelita Amos-6 pode por em causa a venda da Spacecom ao grupo chinês Xinwei

A destruição de um satélite de comunicações na explosão ocorrida na quinta-feira nos Estados Unidos está a preocupar o Israel.

O foguetão Falcon 9 da empresa privada de exploração espacial SpaceX explodiu durante testes na plataforma de lançamento no centro espacial Kennedy, na Florida provocando a destruição do satélite israelita de telecomunicações Amos-6.

A empresa SpaceX informou que não foram registadas vítimas na explosão de quinta-feira.

O satélite, com 5,5 toneladas, rondava os 200 milhões e os 300 milhões de dólares (178 milhões de euros e os 267 milhões de euros). Um dos canais do satélite seria utilizado pela rede social Facebook para levar Internet de alta velocidade ao continente africano.

Este acidente poderá colocar em causa a venda da empresa israelita Spacecom, o operador do satélite Amos, ao grupo chinês Xinwei. Em declarações à rádio pública israelita o diretor da Agência espacial israelita, sublinhou que este "é um segundo golpe, numa altura em que estava próximo um acordo com os chineses"

Yitzhak Ben Yisrael,acrescenta que existe novamente "um grande problema no lançamento" e espera que "a Spacecom seja suficientemente forte para superar a situação e operar outro satélite"

O fabricante do Amos-6, a Israel Aircraft Industries (IAI), indicou que este satélite era "o maior e o mais sofisticado que alguma vez foi construído em Israel" e não esconde a decepção com este acidente.

A Agência espacial israelita, tutelada pelo Ministério da Ciência israelita, assegurou hoje, num comunicado, que "o apoio à indústria aeroespacial em Israel vai continuar, de forma a permanecer na vanguarda da tecnologia".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG