Destino paradisíaco brasileiro volta a aceitar turistas. Mas só quem já teve covid

"O nosso objetivo é abrir com o menor risco possível. Como é que se reduz o risco? Reabrir a ilha apenas às pessoas que já tiveram covid", defende o responsável pelo arquipélago brasileiro Fernando de Noronha.

Um dos mais famosos destinos de férias no Brasil - o arquipélago Fernando de Noronha - volta a aceitar turistas, a partir desta terça-feira. Mas com uma condição: têm de ser pessoas que tenham estado infetadas com o novo coronavírus e que entretanto estejam recuperadas.

Para chegar às ilhas classificadas como Património Mundial pela UNESCO, que ficam a 211 milhas da costa brasileira, será necessário apresentar como prova um teste PCR (de rastreio à covid) positivo e outro negativo, bem como um exame serológico, que comprove a existência de anticorpos ao vírus. Todos estes testes têm de ter data superior a 20 dias, de acordo com informações locais, citadas pelo jornal The Guardian.

"Nesta primeira fase de reabertura, só aceitaremos turistas que já tenham sido infetados com a covid, estejam recuperados e que tenham desenvolvido imunidade à doença, porque assim não poderão transmiti-la ou ser infetados de novo", diz o responsável pelo arquipélago, Guilherme Rocha, ao diário britânico.

Esta indicação está a ser dada apesar de ter sido confirmado, na semana passada, em Hong Kong, o primeiro caso de reinfeção de um doente com covid-19. "O que sabemos é que os casos de reinfeção são muito raros e discutíveis", aponta Guilherme Rocha. "A informação cientifica atual diz-nos que quem já teve a doença está imune. Portanto, esse é o protocolo que vamos seguir", acrescenta.

"O nosso objetivo é abrir com o menor risco possível. Como é que se reduz o risco? Reabrir a ilha apenas às pessoas que já tiveram covid", sublinha o administrador da mesma.

Desde 21 de março que não era possível visitar estas ilhas brasileiras por causa da pandemia de covid-19, que, ao que tudo indica, se têm mantido livres de contágio. Apesar de integrarem o segundo país do mundo com mais casos de infeção e de mortes por causa do novo coronavírus.

Desde o início da pandemia, o Brasil confirmou 3 847 739 infeções e 120 546 vítimas mortais, de acordo com dados oficiais, atualizados neste domingo.

O arquipélago Fernando de Noronha é constituído por 21 ilhas - no entanto, apenas uma está habitada (por 3500 cidadãos). É um dos destinos paradisíacos mais conhecidos do Brasil e recebe anualmente cerca de cem mil visitantes.

Mais Notícias