Criança belga de 9 anos desiste da universidade antes de acabar licenciatura em Engenharia

Os pais de Laurent Simons queriam que ele se licenciasse antes do seu 10.º aniversário, a 26 de dezembro, mas a universidade disse que era impossível.

Laurent Simons, o prodígio belga de apenas 9 anos, desistiu da universidade antes de completar o curso de Engenharia Eletrónica. Em causa está uma desavença entre a Universidade de Eindhoven de Tecnologia, na Holanda, e a família da criança, que já tinha sido notícia por concluir o ensino secundário com 8 anos e esperava licenciar-se ainda antes de fazer os 10.

O curso de Laurent demora três anos a fazer, mas ele esperava completá-lo em apenas dez meses. Contudo, a universidade avisou que seria impossível cumprir o prazo, visto que ele ainda tinha muitos exames para fazer, sugerindo que ele poderia acabar o curso em meados de 2020. Num comunicado citado pela BBC, a universidade indicou que apressar o final do curso não era compatível com o "discernimento, a criatividade e a análise crítica" necessários e que isso iria refletir-se no seu desenvolvimento académico.

Além disso, a universidade alertou contra a "pressão excessiva sobre o aluno de 9 anos", que reitera ter "um talento sem precedentes".

À CNN, o pai de Laurent, Alexander Simons, disse que não tinha havido até agora qualquer problema com o acelerar do calendário de estudos. E que a decisão de o filho sair da universidade sem acabar o curso se prende com o facto de ele ter sido convidado para fazer um doutoramento numa universidade norte-americana e não poder desperdiçar a oportunidade.

"Às vezes é preciso fazer escolhas", disse Alexander. "Se ele deixar fugir esta oportunidade, não sabemos se terá outra igual", acrescentou.

Originários da cidade de Oostende, os pais de Laurent são médicos, mas até agora não perceberam nem obtiveram nenhuma explicação para a capacidade de o filho aprender tão rapidamente. "Ele é como uma esponja", indicou Alexander, na altura em que Laurent foi notícia por estar quase a acabar o curso. A mãe, Lydia, tem a sua própria teoria. "Comi muito peixe durante a gravidez", gracejou então.

Mais Notícias