Corbyn defende segundo referendo sobre qualquer acordo de Brexit

Líder trabalhista, que tem sido criticado por não se comprometer, defendeu esta quarta-feira um segundo voto que deve oferecer "verdadeiras escolhas" para aqueles que querem sair ou ficar na União Europeia.

O líder da oposição britânica, Jeremy Corbyn, defendeu esta quarta-feira um segundo referendo sobre qualquer acordo de Brexit, alegando que este deve oferecer "verdadeiras escolhas" para aqueles que querem sair ou ficar na União Europeia.

A posição de Corbyn, um eurocético que tem sido criticado por não se comprometer com um segundo referendo, foi revelada durante uma reunião com os membros do governo sombra trabalhista, estando presente num comunicado divulgado no final do encontro.

"Assumimos o compromisso de respeitar o resultado do referendo, e eu tenho defendido fortemente um plano alternativo do Brexit como o único acordo sério que poderá potencialmente conseguir o apoio da Câmara dos Comuns", disse, defendendo que um Brexit sem acordo iria levar o Reino Unido aos "piores excessos do capitalismo desastroso e destruir a nossa economia às contas dos acordos de comércio fantasiosos dos Tories".

"É agora certo exigir que qualquer acordo seja sujeito a um voto público. Isto está em linha com a política decidida na nossa conferência que concordou que um voto público seria uma opção", afirmou Corbyn. "O boletim de voto terá que conter verdadeiras escolhas para tanto os eleitores do 'leave' como os do 'remain'. Isto irá obviamente depender do Parlamento", acrescentou.

Corbyn tem defendido sempre a necessidade de novas eleições gerais, quase três anos desde que os britânicos votaram para sair da União Europeia, deixando o país, o seu partido e os próprios conservadores profundamente divididos sobre a forma como o Brexit deve acontecer.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG