Conselho de Ética aprova retirada do mandato de Eduardo Cunha

Presidente da Câmara dos Deputados do Brasil é acusado de ter mentido à Comissão Parlamentar de Inquérito. Processo ainda longe do fim

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados do Brasil aprovou esta quarta-feira o relatório que defende a retirada do mandato ao presidente da câmara baixa do Congresso, Eduardo Cunha, por 11 votos a favor e nove contra.

Depois de ter sido adiada na semana passada, a votação do relatório de Marcos Rogério aconteceu hoje num clima de grande expectativa, dado que Eduardo Cunha é considerado um político bastante influente na cena política brasileira.

A deputada Tia Eron, do Partido Republicano Brasileiro (PRB), que era considerada detentora do voto decisivo para desempatar a votação e que se isolou nos últimos dias para evitar pressão de aliados e adversários de Eduardo Cunha, decidiu votar "sim".

O deputado afastado é acusado de ter mentido à Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras, ao negar ter contas no exterior em seu nome, o que poderia configurar quebra de decoro parlamentar.

Eduardo Cunha foi afastado das suas funções pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no início de maio, mas continua com as prerrogativas do cargo de deputado.

Iniciado há oito meses, este é o processo de cassação mais longo a tramitar no Conselho de Ética, que em março aprovou a continuidade da investigação por margem mínima. Agora, Eduardo Cunha ainda pode recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O processo seguirá depois para o plenário da Câmara dos Deputados, onde será necessária uma maioria absoluta (mais de metade) para afastar o parlamentar.

O Presidente da Câmara dos Deputados afastado é o único réu no STF no âmbito da Lava Jato, operação que investiga um mega esquema de corrupção, que envolve dezenas de políticos e várias empresas, incluindo a estatal Petrobras.

Eduardo Cunha foi ainda um dos principais impulsionadores do processo de impeachment (destituição) da Presidente temporariamente afastada, Dilma Rousseff.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG