Congresso investiga obstrução de justiça de Trump. Primeiro passo para um 'impeachment'?

Líder da Comissão de Justiça revelou que vai pedir documentos de mais de 60 pessoas da Administração, família e empresas do presidente, considerando que é "muito óbvio" que este obstruiu a justiça.

A Comissão de Justiça da Câmara dos Representantes vai pedir documentos a 60 indivíduos e organizações ligados a Donald Trump, no início de uma investigação sobre alegada obstrução de justiça, corrupção e abuso de poder do presidente norte-americano. A lista será revelada esta segunda-feira.

O anúncio foi feito pelo líder da Comissão de Justiça, o democrata Jerrold Nadler, numa entrevista à ABC. Nadler diz que não se trata de uma investigação para um impeachment, mas lembrou que os democratas estão simplesmente a trabalhar para "proteger o Estado de direito" depois de durante dois anos a maioria republicana ter "resguardado o presidente de qualquer prestação de contas".

"Estamos longe de tomar uma decisão sobre o impeachment", afirmou. Mas, acrescentou, "antes tens que persuadir o público americano que é isso que tem que acontecer". Questionado sobre se houve obstrução de justiça por parte de Trump no que diz respeito à investigação sobre o alegado conluio com a Rússia, Nadler respondeu que sim.

Como prova, Nadler lembrou por exemplo o despedimento do diretor do FBI, James Comey, em maio de 2017. Este liderava a investigação à alegada interferência dos russos nas presidenciais norte-americanas de 2016 e suposto conluio com a campanha de Trump. Essa investigação passou depois para o conselheiro especial Robert Mueller que deve entregar as suas conclusões ao procurador-geral nas próximas semanas.

Trump voltou a negar este domingo, em duas mensagens no Twitter, qualquer conluio com os russos. "Depois de mais de dois anos de assédio presidencial, as únicas coisas que ficaram provadas é que os democratas e outros violaram a lei. O testemunho hostil de Cohen, dado por um mentiroso para reduzir a sua pena de prisão, não provou o conluio! O manuscrito do seu recente livro mostrou que o que disse é uma mentira total, mas os fake media não o vão mostrar. Sou um homem inocente a ser perseguido por algumas pessoas muito más, conflituosas e corruptas, numa caça às bruxas que é ilegal e nunca devia ter começado. E só porque ganhei as eleições. Apesar disso, grande sucesso!".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG