Colonos e nacionalistas judeus protestam contra demolição de habitações ilegais

As nove casas que terão de ser abandonadas foram construídas em terras palestinianas

Milhares de colonos e nacionalistas judeus manifestaram-se hoje no colonato de Ofra, em território ocupado da Cisjordânia, em protesto por uma ordem judicial para que se retirem, no prazo de um mês, de nove habitações construídas em terras palestinianas.

Pelo menos cinco mil pessoas, segundo os 'media' locais, dirigiram-se até ao pequeno colonato a nordeste de Ramallah para pressionar o Governo de Benjamin Netanyahu a rejeitar a ordem judicial e exigir a regularização de 50 habitações não autorizadas.

Jovens manifestantes, rabinos, deputados nacionalistas e ativistas de diversas correntes da direita judaica reuniram-se no colonato, que há três dias acolheu um grupo de desalojados da vizinha Amona, informou o serviço noticioso Ynet.

Pelo mesmo motivo, entre quarta e quinta-feira foram evacuadas 42 famílias do colonato de Amona, após o Tribunal supremo também ter decidido que os terrenos deverão ser devolvidos aos legítimos proprietários palestinianos.

Hoje, o tribunal voltou a analisar um novo recurso para impedir a retirada dos colonos e fixou o dia 05 de março como o prazo máximo.

Para evitar casos similares no futuro os manifestantes exigiram a Netanyahu que aprove de imediato uma polémica lei para regularizar a situação de meia centena de habitações erguidas ilegalmente pelos colonos, em muitos casos em terras privadas palestinianas, uma construção que é proibida pela legislação local.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG