Extrema-direita entra no parlamento do Hesse

A confirmarem-se as projeções, trata-se do pior resultado do partido da chanceler alemã, Angela Merkel, CDU, na região em mais de 50 anos

Os partidos da coligação governamental da Alemanha deverão sofrer quedas importantes nas eleições regionais em Hesse, enquanto o partido de extrema-direita passará a ter representação no parlamento regional, segundo projeções ao fecho das urnas.

Segundo as projeções das cadeias de televisão públicas ARD e ZDF ao fecho das urnas, a União Democrata Cristã (CDU), da chanceler Angela Merkel, vence as eleições com 27% a 28% dos votos, mas perde quase 11 pontos relativamente às eleições de 2013.

A confirmarem-se as projeções, trata-se do pior resultado da CDU na região desde 1966.

Os sociais-democratas do SPD, o outro parceiro da coligação governamental, deverão conquistar 19,8% dos votos, resultado que representa menos 10,9 pontos do que nas eleições anteriores.

Extrema-direita entra no parlamento regional de Hesse

Com uma votação entre 12% a 13%, o partido da extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) consegue entrar no parlamento regional de Hesse, o único dos 16 do país onde ainda não tinha representação.

Os Verdes, que na legislatura anterior integraram a coligação com a CDU neste estado, deverão conseguir 20% dos votos, registando uma subida de quase nove pontos.

"Perda dolorosa de votos"

As projeções apontam subidas ligeiras de 1,4 e 2,2 pontos para os partidos Esquerda (6,6%) e Liberais (7,2%)

Numa primeira reação, o ministro-presidente de Hesse, Volker Bouffier, disse que se trata de uma "perda dolorosa" de votos, que será encarada com muita seriedade.

Bouffier considerou, por outro lado, que o resultado das eleições em Hesse foi muito influenciado pelas clivagens na coligação governamental a nível nacional.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG