Duas dezenas de neonazis rodeados de milhares de anti-fascistas em Washington

A organização da marca em defesa dos "direitos civis dos brancos" esperava reunir 400 pessoas, mas em frente à Casa Branca manifestaram-se perto de duas dezenas

Cerca de 20 supremacistas brancos, embrulhados em bandeiras norte-americanas, realizaram no domingo frente à Casa Branca, em Washington, uma marcha em defesa dos "direitos civis dos brancos", rodeados por milhares de manifestantes que condenaram a ideologia xenófoba.

Para evitar confrontos entre os dois grupos, a polícia metropolitana de Washington colocou os neonazis num pequeno perímetro próximo da Casa Branca, cercado por vedações negras com um metro de altura.

Por detrás das vedações concentraram-se milhares de contra-manifestantes, que vaiaram os neonazis e gritaram "antifascistas", enquanto exibiam cartazes com mensagens como "Sem ódio, sem medo" ou "Defendamo-nos da supremacia branca". "Vergonha" gritavam ainda em direção aos supremacistas brancos.

A manifestação começou cerca das 16:00 locais (21:00 em Lisboa) e terminou uma hora e meia depois, quando começou a cair chuva forte.

Os organizadores da marcha esperavam reunir 400 pessoas, como refere o pedido de autorização enviado ao município por Jason Kessler, líder do grupo Unite the Right, que há um ano organizou outro protesto semelhante em Charlottesville (Virginia), em que morreu uma mulher e dois agentes policiais.

Muito longe dessas 400 pessoas, frente à Casa Branca manifestaram-se apenas perto de duas dezenas de pessoas, constatou a agência espanhola, Efe, no local.

Um dos manifestantes, com o pseudónimo Karl, com 21 anos e que não exibia nenhum símbolo nazi, disse à Efe que viajou desde Dallas (Texas) até à capital norte-americana porque queria defender os "direitos de todas as pessoas", incluindo dos brancos que, na sua opinião, deveriam ser a maioria nos EUA.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG