Casal canibal admitiu ter matado pelo menos trinta pessoas

De acordo com fotografias encontradas em casa do casal, os assassinatos já ocorrem há quase duas décadas

Dmitry e Natalia Baksheev, um casal acusado de ser canibal, admitiu ter matado mais de 30 pessoas na cidade de Krasnodar, no sudoeste da Rússia.

O casal foi preso após o telemóvel do homem, de 35 anos, ter sido encontrado por trabalhadores da construção civil, contendo imagens de partes de corpos desmembrados. As fotos mostravam um homem com uma mão cortada e uma cabeça feminina cortada.

De acordo com a BBC, as autoridades confirmaram a descoberta do corpo de uma mulher, de 35 anos, em terras ligadas a uma base militar, onde o casal vive. O corpo estava desmembrado e foi encontrado em conjunto com uma mala com os pertences da vítima.

Segundo o Mirror, além de partes de corpos humanos, as autoridades encontraram ainda um vídeo com lições para canibais.

Natalia e o marido armazenavam os restos humanos no frigorifico e no congelador, bem como numa adega, tendo sido encontrados sete embalagens contendo partes de vários corpos congeladas e carne humana conservada em frascos. Foram ainda encontrados 19 pedaços de pele humana.

Os meios de comunicação russos adiantam ainda que as fotografias, no telemóvel e impressas, encontradas no apartamento, sugerem que os assassinatos já ocorrem há quase duas décadas.

Uma fotografia, que data a 28 de dezembro de 1999, parece mostrar uma cabeça humana desmembrada, colocada num prato de servir, com frutas.

Os exames hospitalares psiquiátricos realizados a Natalia, mostraram que a suspeita é "uma pessoa adequada, absolutamente saudável e com plena responsabilidade pelas suas ações", no entanto, a mulher confessou estar envolvida em pelo menos trinta mortes, seguidas de atos de canibalismo feitos pelo casal.

As autoridades confirmaram que o casal permanece em custódia, sob a acusação de homicídio, enquanto decorrem investigações e testes biológicos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG