Casal apanha voo para a Madeira e 15 horas depois avião aterra no... Reino Unido

Um casal partiu de Bristol com destino à Madeira. 15 horas depois estavam de volta ao mesmo aeroporto de onde tinham partido. O culpado foi o vento forte que se fez sentir no Funchal

A viagem de avião até à Madeira iria demorar apenas três horas e quarenta minutos, mas a realidade foi bem diferente para Paul e Ana Davis. O casal do País de Gales apanhou em Bristol um voo que demorou 15 horas e que só terminou quando o avião aterrou no mesmo aeroporto de onde tinham partido.

Tudo por causa dos ventos fortes que se fizeram sentir na segunda-feira no Funchal. A história é contada na primeira pessoa ao jornal britânico Mirror. O voo da easyJet de Bristol com destino à Madeira foi um dos que viu a aterragem ser cancelada, na segunda-feira, devido às condições meteorológicas adversas.

"Quando estávamos a aproximar-nos da ilha, o comandante disse que devido aos ventos fortes não íamos conseguir aterrar. Desviámo-nos para Lisboa, mas quando lá chegámos disseram-nos que não podíamos sair do avião", relata Paul Davis ao jornal britânico. "Depois de hora e meia disseram que as condições tinham melhorado e que por isso íamos voltar, para tentar aterrar novamente", recorda o britânico.

Mas o mau tempo voltou a fazer das suas. "Voltámos à Madeira, demos várias voltas e o comandante disse que as condições se tinham deteriorado novamente e que os oito aviões que estavam à nossa frente não conseguiam aterrar", lembra Paul. As más notícias continuaram quando foram informados que os ventos fortes registados na segunda-feira iam manter-se até esta sexta-feira.

De acordo com a previsão meteorológica, foram informados que não ia ser possível aterrar no aeroporto da Madeira.

Disseram depois aos passageiros que o avião tinha de ir ao Porto e foi-lhes perguntado se queriam ficar na cidade Invicta em vez de regressar a casa. 39 pessoas optaram por ficar na cidade portuguesa.

Paul e a mulher ficaram no grupo de passageiros que preferiu regressar ao Reino Unido. Tiveram, no entanto, de tirar a bagagem do avião e "voltar a pô-la novamente", o que demorou cerca de "duas horas".

Estivemos a viajar durante 15 horas sem ir a absolutamente lado nenhum

Aos passageiros a companhia aérea distribuiu vouchers para alimentação no aeroporto do Porto. Só depois dos passageiros que optaram por ficar em Portugal terem sido reencaminhados, o casal regressou ao aeroporto de Bristol.

"Estivemos a viajar durante 15 horas sem ir a absolutamente lado nenhum. Eles fizeram tudo o que puderam. Disseram que vamos receber o reembolso total do voo e do alojamento", afirma Paul Davis ao Mirror.

A easyJet emitiu, posteriormente, um pedido de desculpas a estes dois passageiros, justificou o que aconteceu e revelou que iriam ser reembolsados.

"A easyJet gostaria de pedir desculpa e compreende a desilusão que terá sido para os passageiros. (...) A segurança e o bem-estar dos passageiros e da tripulação é sempre a nossa prioridade", lê-se no comunicado da companhia aérea, citado pelo jornal britânico.

"Foi uma experiência incrível. Fizemos pouco mais de seis mil quilómetros e nem chegamos às nossas férias. Ao percorrer seis mil quilómetros, podemos chegar à costa oeste dos EUA", constata Paul Davis.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG