Capital da China com situação "grave e complicada"

A Comissão Municipal de Saúde de Pequim considerou este sábado (26 e dezembro) a situação de prevenção e controlo da pandemia na capital como "grave e complicada", depois de seis novos casos terem sido detetados nos últimos dias.

Esta comissão também desaconselha viagens fora da capital, a menos que seja necessário, durante as celebrações do Ano Novo Lunar chinês, que este ano acontecem a 12 de fevereiro.

As autoridades sanitárias informaram que dois novos casos confirmados foram detetados na sexta-feira (25 de dezembro) no distrito de Shunyi, no nordeste da capital.

Um dos casos é uma mulher de 31 anos da província de Hebei que trabalha numa loja de conveniência que vende alimentos frescos e congelados na aldeia de Zhangxizhuang, no distrito de Pequim.

O outro caso envolve uma mulher de 29 anos da província nordeste de Liaoning, que vive agora no distrito de Shunyi e trabalha para uma multinacional tecnológica norte-americana.

A comissão disse que foram realizadas investigações epidemiológicas sobre estes dois casos e que foram implementadas as medidas de controlo necessárias.

Na sexta-feira, foi também detetado o caso assintomático de um empregado da Asian Airlines sediado em Pequim, que regressou da Coreia do Sul e que anteriormente tinha passado duas semanas em quarentena.

Estes casos juntam-se a outro um detetado na passada quinta-feira de um empregado de hotel no distrito central de Xicheng, onde Zhongnanhai, a sede do governo chinês, está localizada, e que levou a que fossem realizados testes em todos os trabalhadores de restaurantes e cadeias de frio naquela área, com 1,5 milhões de habitantes.

O governo de Pequim exortou as empresas a não organizarem viagens de negócios fora da capital e também recomendou que os cidadãos não deixassem a cidade durante as festividades do Ano Novo Lunar, bem como as escolas e empresas a escalonarem o seu período de férias.

O vice-prefeito da cidade, Chen Bei, disse que Pequim irá rever os regulamentos para a realização de eventos e não irá organizar grandes reuniões, tais como eventos desportivos ou culturais.

Cinemas, livrarias, museus e locais de entretenimento terão de funcionar a 75% da sua capacidade, disse Chen, exortando também os caminhos-de-ferro, companhias aéreas, aeroportos e estações a implementar rigorosamente medidas de desinfeção e controlos de temperatura.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG