Na Alemanha, taxa de infeção já é inferior a 1

Dados publicados pelo Instituto Robert Koch nesta quinta-feira referem que a taxa de infeção de pessoa para pessoa caiu para 0,7

Cada pessoa infetada por coronavírus na Alemanha está a infetar menos do que uma pessoa, segundo dados publicados pelo Instituto Robert Koch nesta quinta-feira.

A taxa de infeção de pessoa para pessoa caiu para 0,7 numa fase em que a Alemanha se prepara para aliviar as medidas de contenção a partir de segunda-feira.

A taxa de infeção é um indicador importante para os políticos calibrarem os passos graduais da potência europeia para sair do bloqueio que viu escolas e a maioria das empresas fecharem com o intuito de conter a propagação do vírus.

A partir de segunda-feira, lojas até 800 metros quadrados poderão reabrir se cumprirem as regras de higienização, disse a chanceler Angela Merkel esta quarta-feira. E as escolas devem começar a ser reabertas a partir de 4 de maio, com prioridade para os alunos que em breve vão fazer exames.

Enquanto isso não acontece, as regras de contenção vão permanecer em vigor, para impedir que grupos de mais de duas pessoas se reúnam em público, exceto familiares que morem juntos, enquanto grandes eventos públicos vão continuar proibidos até 31 de agosto.

"A curva (de infeções) ficou mais achatada, mas ainda precisa de estar numa forma que não sobrecarregue o nosso sistema de saúde", disse Merkel na quarta-feira, ao anunciar as restrições.

Com uma taxa de infeção perto de 1,0, a chanceler e os ministros julgam ter chegado o momento certo para começar a sair do bloqueio.

"Mesmo se assumirmos que uma pessoa infetou outras 1,1, atingiríamos os limites do nosso sistema de saúde e das camas de cuidados intensivos em outubro", alertou Merkel. "Se assumirmos uma taxa de 1,2., atingiríamos o limite do sistema de saúde em julho. E com uma taxa de 1,3 - o que não parece muito - chegaríamos lá em junho", acrescentou.

"Temos pouca margem de erro", disse Merkel, acrescentando que "cautela deve ser a palavra de ordem, não excesso de confiança".

Ministro da Saúde diz que pandemia está sob controlo

O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, afirmou esta sexta-feira que a pandemia da covid-19 está atualmente "sob controlo" no país e que o número de contágios diminuiu significativamente.

"Podemos dizer que conseguimos passar do crescimento dinâmico [do número de contágios] para o linear, já que a taxa de infeção diminuiu significativamente", explicou o ministro em conferência de imprensa, adiantando que a Alemanha já testou cerca de 1,7 milhões de pessoas até o momento.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 145 mil mortos e infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 465 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria ou Espanha, a aliviar algumas das medidas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG