Brasil ultrapassa a barreira dos 150 mil mortos

Os números preocupantes de óbitos de covid-19 têm ainda mais expressão nos estados do Distrito Federal (Brasília), Rio de Janeiro, Mato Grosso e Amazonas, que se fossem independentes teriam as maiores taxas de mortalidade do mundo.

O Brasil atingiu este sábado os 150 023 mortos por covid-19 desde o início da pandemia. Uma notícia avançada pelos órgãos de comunicação brasileira - Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL - que fazem parte do consórcio que compilam os dados fornecidos pelas secretarias estaduais de Saúde.

Estes dados mostram ainda que, se fossem independentes, quatro estados brasileiros estariam no topo do ranking mundial no que diz respeito a índices de mortos por um milhão de habitantes. São eles o Distrito Federal (1127 mortos por um milhão de habitantes), Rio de Janeiro (1113), Mato Grosso (1034) e Amazonas (1019). Preocupante é ainda a situação no estado do Ceará, onde se regista uma taxa de 1000 mortos por um milhão de habitantes.

Para se ter uma noção da gravidade da situação nestes quatro estados do Brasil, basta referir que, de acordo com a Worldometers, organização que compila as estatísticas dos órgãos oficiais sobre a pandemia, o Peru é o mais com a taxa de mortalidade mais alta do mundo, com 1002 mortos por cada milhão de habitante.

Nesta tabela, o Brasil ocupa o quarto lugar com 704 óbitos por cada milhão de habitante, estando apenas atrás de Peru, Bélgica e Bolívia.

Mais Notícias