Boris Johnson propõe sistema por pontos para "controlar" a imigração

"Temos que ser mais duros em relação aos que abusam da nossa hospitalidade", defendeu o conservador, favorito a suceder a Theresa May.

O conservador Boris Johnson, favorito para suceder à primeira-ministra Theresa May na corrida com Jeremy Hunt, propôs esta quinta-feira um sistema de pontos para "controlar" a imigração semelhante ao que existe na Austrália.

A questão da imigração foi um dos temas centrais na campanha para o referendo do Brexit, em 2016. A ideia do sistema de pontos australiano já tinha sido falado por Johnson no passado, mas May tinha dúvidas. O candidato conservador indicou que diria ao comité responsável por analisar o caso para ver como o sistema australiano poderá ser adaptado ao Reino Unido.

Seriam três os critérios a ter em conta: o contributo que pode dar para o Reino Unido, tendo um emprego fixo ou a capacidade de falar inglês; garantias de que não representam um encargo para os serviços públicos britânicos ou que estão a tirar empregos que podiam ir para as pessoas que já vivem no país; além de garantias de que não representam uma ameaça para o Reino Unido.

A atual política de imigração implica uma meta de migração líquida, com mais saídas do que entradas, que tem falhado nos últimos anos, apesar de o número daqueles que entram no Reino Unido estar em queda.

"Nós temos que ser mais abertos à imigração de pessoas altamente qualificadas, como cientistas, mas temos igualmente de assegurar ao público que, quando sairmos da União Europeia, vamos controlar o número de imigrantes não qualificados que chegam ao país", afirmou o ex-chefe da diplomacia britânica.

"Temos que ser mais duros em relação aos que abusam da nossa hospitalidade", insistiu."Outros países como a Austrália têm excelentes sistemas e devíamos tirar lições", acrescentou o candidato.

Johnson prometeu igualmente proteger os direitos dos cerca de 3,8 milhões de cidadãos europeus que vivem atualmente no Reino Unido, mesmo em caso de um Brexit sem acordo a 31 de outubro, como May já tinha garantido. "Precisamos garantir que os direitos dos cidadãos da União Europeia estão protegidos", afirmou Johnson, acrescentando que atuará "imediatamente" para que "as pessoas parem de se preocupar" em relação à sua presença em solo britânico.

O Reino Unido já tem um sistema por pontos para os imigrantes oriundos de países de fora da área económica europeia, que foi introduzido pelo governo trabalhista em 2008. A elegibilidade é determinada por vários critérios obrigatórios, que dão um valor simbólico de pontos.

Johnson e Hunt estão em plena campanha para a liderança do Partido Conservador, cujo vencedor será decidido pelo voto dos 160 militantes do Partido Conservador. O resultado será conhecido a 23 de julho. Um dia depois, o vencedor substituirá Theresa May à frente do governo britânico.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG