Boris Johnson: Brexit "não é o fim, mas um início"

Uma hora antes da saída oficial do Reino Unido da União Europeia, Boris Johnson defendeu que este é "um momento de verdadeira renovação nacional e mudança".

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu conseguir o Brexit e esta sexta-feira, às 23.00, vai cumprir. Uma hora antes, num discurso à nação gravado previamente e quando comemorava o feito com uma receção em Downing Street com produtos britânicos em destaque, o líder conservador reiterou que a saída do Reino Unido da União Europeia "não é um fim mas um início", "um momento de verdadeira renovação nacional e mudança".

"Este é o momento em que a madrugada rompe e as cortinas sobem para um novo ato do nosso grande drama nacional", disse Johnson na declaração. "Este é o nascimento de uma nova era na qual já não aceitamos que as vossas oportunidades de vida, as oportunidades de vida da vossa família, devem depender de que parte do país é que cresceram. É o momento em que começamos a unir-nos", acrescentou.

"Para muitas pessoas este é um momento de esperança, um momento que nunca esperavam que viria", indicou o primeiro-ministro. Outros, referiu, estão "aliviados" por este dia ter finalmente chegado. Mas Johnson admite que há ainda um grupo, talvez o maior, quem tenha "ansiedade" sobre o que aí vem. Mas o líder conservador diz que este é o momento de unir o país e avançar.

"Quando vejo o potencial deste país, esperando para ser libertado, sei que podemos transformar esta oportunidade num sucesso estrondoso", indicou. "Sejam quais forem os obstáculos à nossa frente, sei que vamos ser bem sucedidos."

Em relação à UE, Johnson fala do início de uma nova era de cooperação amigável. "Apesar de todas as forças e qualidades, a UE evoluiu nos últimos 50 anos numa direção que já não servia a este país", defendeu o primeiro-ministro.

Boris Johnson disse que há muitas coisas que o Reino Unido recupera, "recapturando" a sua soberania que estava nas mãos da Uniao Europeia. Fala sobre o controlo da migração, de acordos de livre comércio, de "libertar" a indústria piscatória britânica ou tornar as nossas leis e regras para o benefício das pessoas deste país.

O primeiro-ministro fala em espalhar "esperança" em todos os cantos do país. "E se fizermos isto bem, acredito que com cada mês que passar, vamos crescer em confiança não só dentro de casa, mas no estrangeiro. Vamos redescobrir músculos que não usamos há décadas. O poder de pensamento independente e ação, não porque queremos rejeitar algo feito pelos nossos amigos da UE", indicou.

Enquanto Johnson discursava, no exterior do número 10 de Downing Street começava a ser projetado o relógio com a contagem decrescente para o Brexit. Os edifícios governamentais na zona de Westminster estão também iluminados e a Union Jack foi içada em redor da Praça do Parlamento.

Nesta praça, à margem das comemorações oficiais, o movimento "Leave Means Leave", de Nigel Farage, que fez campanha pelo Brexit, foi autorizado a fazer uma festa das 21:00 às 23:15. Mas sem fogo-de-artifício, música ou álcool.

Um conselho de ministro extraordinário teve lugar esta tarde em Sunderland, o primeiro local a declarar um voto a favor do Brexit no referendo de 23 de junho de 2016. Segundo o gabinete de Johnson, os ministros discutiram o objetivo de garantir que 80% das atuais trocas comerciais do Reino Unido estarão cobertas com acordos de livre comércio no espaço de três anos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG