Bolsonaro cresce 4 pontos. Sondagem dá empate na 2.ª volta

Estudo do instituto Ibope dá o ex-capitão do exército dez pontos à frente do candidato do PT na primeira volta - com 31% contra os 21% de Fernando Haddad

Três dias depois de Jair Bolsonaro ter saído do hospital (após 22 dias de internamento na sequência de uma facada durante um comício) no mesmo dia em que milhares de mulheres se manifestaram Brasil fora (e não só) contra o candidato do PSL às presidenciais de 7 de outubro, a última sondagem Ibope mostra que o ex-capitão do exército brasileiro subiu 4 pontos nas intenções de votos - para 31%.

O estudo dá dez pontos de vantagem a Bolsonaro sobre o principal rival, Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores. O ex-prefeito de São Paulo, que avançou depois de a justiça travar a candidatura do ex-presidente Lula da Silva, detido em relação com a operação Lava-Jato, surge com 21% das intenções de voto - o mesmo resultado da anterior sondagem Ibope, datada de 26 de setembro.

Longe atrás está Ciro Gomes, do PDT, já candidato em 1998 e 2002. O ex-ministro consegue apenas 11% das intenções de voto, seguido de Geraldo Alckmin, do PSDB, com 8%. Este volta a tentar chegar ao palácio do Planalto, depois da derrota na segunda volta face a Lula em 2006.

Marina Silva, da Rede Solidariedade, outra repetente nestas corridas presidenciais, consegue 4% das intenções de voto. Os restantes candidatos ficam abaixo dos 3%.

Apesar de liderarem nas intenções de voto, Bolsonaro e Haddad lideram também nas opiniões negativas - 44% para o ex-capitão e 38% para o petista.

Simulações de segunda volta

Se Bolsonaro e Haddad se destacam para já como os mais prováveis de passar à segunda volta, existem outros cenários. Em caso de frente-a-frente entre o candidato do PSL e o rival do PT, o resultado é um empate técnico, com Haddad e Bolsonaro a obterem ambos 42%

Qualquer um dos outros candidatos venceria o ex-capitão: Ciro por 45% contra 39%, Alckmin por 42% contra 39% e Marina por 43% contra 38%.

A sondagem foi divulgada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo.

Bolsonaro tem-se destacado pelas declarações polémicas, defendendo por exemplo que se devem armar os "cidadãos de bem" ou que esterilizar os mais pobres é a melhor forma de conter a criminalidade e a miséria. Se for eleito - e Bolsonaro já disse que não irá aceitar um cenário que não seja a vitória - o ex-capitão promete tirar o Brasil do Mercosul e da Sul.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG