Beppe Grillo abandona a política: "é como uma doença mental"

Comediante e líder do Movimento 5 Estrelas, de 68 anos, tenciona agora regressar aos seus espetáculos.

"A política deve ser analisada como uma doença mental porque se baseia no nada", disse Beppe Grillo, numa entrevista hoje divulgada pelo jornal italiano 'Corriere della Sera', na qual o comediante justifica a decisão de deixar de fazer parte da vida política em Itália.

"Também os votos nos candidatos se baseiam na popularidade, na gestualidade, na simpatia. É uma representação do nada. É o nada que preenche o vazio", constatou, referindo que, por isso, prefere afastar-se para "recuperar" a sua "liberdade".

Beppe Grillo, de 68 anos, estava já afastado da linha da frente do partido há cerca de um ano, mas continuava a ser o ícone do Movimento 5 Estrelas, partido que em 2013 entrou no Parlamento e no Senado de Itália, respetivamente com 25,55% e 23,79% dos votos, tornando-se a força independente mais votada. Formado em 2009, o partido encontra as suas bases na ecologia, no desenvolvimento sustentável e num euroceticismo que tem no euro - moeda única da União Europeia - o seu maior inimigo.

Bloguista famoso, Grillo, um anti-sistema, é uma das pessoas mais seguidas nas redes sociais em Itália. Após ter passado pela política - e de agora a ter renegado - vai voltar a fazer espetáculos. O primeiro estreia a 2 de fevereiro, em Milão, mas estará patente também em Roma, a capital italiana, a 16 do mesmo mês.

Com 'Corriere della Sera'

Mais Notícias

Outras Notícias GMG