Ban Ki-moon fala em "momento decisivo" na Síria

O secretário-geral da ONU alertou para o facto de que na Síria "tudo pode cair para um lado ou para o outro"

O mundo enfrenta um "momento decisivo" na Síria, advertiu esta quarta-feira o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, instando as potências internacionais a usarem a sua influência para restabelecer imediatamente o cessar-fogo e avançar para novas negociações de paz.

"Insto todos a usarem a vossa influência agora, hoje", disse, destacando a necessidade de "restabelecer a cessação das hostilidades" para permitir que a ajuda humanitária seja entregue e que as partes em conflito possam "negociar uma saída para o inferno em que estão encurraladas".

"A tragédia na Síria envergonha-nos a todos", disse aos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 15 países membros do órgão executivo das Nações Unidas, falando de um "fracasso coletivo".

"Tudo pode cair para um lado ou para o outro" na Síria, advertiu o secretário-geral, que afirmou que a ONU está pronta para convocar negociações "quanto antes" e apresentar uma proposta concreta para uma transição política.

O secretário-geral insistiu por outro lado que o futuro da Síria não pode depender do destino do presidente do país, Bashar al-Assad: "Se uma parte continua a insistir que os poderes do presidente não são negociáveis, então, por definição, não pode haver um acordo negociado".

"E se a outra parte insiste que o presidente simplesmente tem de sair no primeiro momento de uma transição, é difícil prever uma negociação genuína", acrescentou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG