Furacões no Atlântico: o recorde de 1961 foi batido

A maior atividade de furacões na história do Oceano Atlântico foi registada na sexta-feira, segundo cálculos divulgados por investigadores.

Os cientistas usam uma medida, chamada Energia Acumulada de Furacões (ACE, na sigla em Inglês) para ficarem com um retardo instantâneo da atividade dos furacões, uma vez que combina a velocidade dos ventos com a duração da sua rotação a essas velocidades.

Com os furacões Irma e Jose na categoria 4 e o Katia na 3, o perito em furacões da Universidade estadual do Colorado, Phil Klotzbach, calculou que a ACE da totalidade do dia atingiu um recorde de 16.

Este valor supera o máximo anterior - de 14,3 -, estabelecido em 11 de setembro de 1961

Logo a seguir, surgem as últimas quinta-feira (14,2) e quarta-feira (14,1).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG