Amigos separados pelo Holocausto reencontram-se 76 anos depois

Família de Alice Gerstel fugiu da Bélgica em 1941 e Alice só há seis meses descobriu que o "pequeno Simon" tinha escapado a Auschwitz

Alice e SImon, dois amigos de infância que a ocupação nazi da Bélgica separou há mais de 76 anos, reencontraram-se esta semana em Los Angeles, nos EUA. Uma história de amizade e sobrevivência que está a emocionar a Bélgica, em especial a comunidade judaica.

Em outubro de 1941, Alice Gerstel e a família esconderam-se em casa da família de Simon Gronowski, o "pequeno Simon' de 11 anos, como lhe chamou, para fugir dos nazis, que em 1940 invadirem o país. E enquanto o pai, um negociador de diamantes, tentava um acordo com um contrabandista francês para retirar a mulher e os quatro filhos do país em segurança, Alice e Simon tornaram-se inseparáveis.

Mas com os nazis a bater à porta dia sim, dia não, o pai de Alice decidiu trocar os diamantes por dinheiro e comprar nove vistos, numa fuga para França, também ocupada, depois para Casablanca e de lá para Cuba, antes de chegar aos EUA.

Os Gronowskis, também judeus, decidiram ficar, mas foram descobertos 18 meses depois. Simon, a irmã e a mãe foram enviados num dos muitos comboios da morte para o campo de Auschwitz. O pai de Gronowski estava no hospital e a mulher deu-o como morto, salvando-o do mesmo destino. Já no comboio, salvou o filho, o 'pequeno Simon', empurrando-o através da porta de um vagão.

A fuga "milagrosa" do menino, que, já depois da guerra reencontrou o pai, estudou direito e ainda hoje trabalha como advogado em Bruxelas, encheu páginas de jornais e deu origem a uma biografia com o título "A Criança do 20º Comboio", publicada em 2002. Foi através de uma pesquisaonline que o sobrinho de Gerstel (agora Gerstel Weit) o encontrou há cerca de seis meses.

"Não sabias que eu saltei daquele comboio?", perguntou Gronowski, agora com 86 anos, à amiga Gerstel, de 89. Em lágrimas, Alice abanou a cabeça, aquando do reencontro no Museu do Holocausto de Los Angeles.

Os dois amigos de infância reencontraram-se e recordaram como o Holocausto separou duas famílias que se tinham tornado inseparáveis após umas férias em 1939.

Alice contou que, logo depois da guerra, a família tentou localizar os Gronowski, mas que nunca descobriram o que lhes aconteceu. No entanto, o amigo recordou que chegou a escrever ao irmão mais velho de Gerstel, que por algum motivo enunca contou à família que o "pequeno Simon" tinha sobrevivido.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG