Ambientalistas travam expansão do aeroporto de Heathrow em Londres

Tribunal londrino deu razão aos que contestam uma terceira pista em Heathrow porque o projeto não considerou os compromissos do país para travar as alterações climáticas. Vitória pode fazer escola noutros países

É uma vitória nos tribunais dos ambientalistas, que contestaram a expansão do aeroporto de Heatrow para a construção de uma terceira pista, alegando que o projeto não contempla os compromissos do país no âmbito do combate às alterações climáticas. Nesta quinta-feira, a justiça britânica deu razão às organizações do ambiente.

O aeroporto de Heathrow, que é, mesmo sem a terceira pista, o mais movimentado da Europa, anunciou que irá recorrer da sentença no Supremo Tribunal britânico, mas o governo de Boris Johnson já fez saber que não interporá recurso, noticia a BBC News.

Na prática, esta parece ser a decisão que o primeiro-ministro britânico deveria favorecer, já que nunca escondeu a sua oposição à expansão do aeroporto londrino quando era mayor de Londres.

Nessa altura, Boris Johnson chegou a dizer não hesitaria em bloquear as retroescavadoras para impedir a construção da terceira pista e, ainda em dezembro, expressou "dúvidas" sobre a capacidade de preservar a qualidade do ar e de limitar a poluição sonora do aeroporto se a terceira pista avançasse.

Por seu lado, o atual mayor, o trabalhista Sadiq Khan, que inclusivamente apoiou a ação movida pelas organizações ambientalistas, não se conteve de satisfação com a decisão hoje conhecida do tribunal: "Vencemos!", comentou.

Para John Sauven, da Greenpeace, uma das organizações que participou na ação judicial, este é o resultado natural do caso, uma vez que "a terceira pista já estava em questão, em termos de custos, ruído e poluição do ar". Agora, sublinha o dirigente ambientalista, "o aeroporto tem um obstáculo importante demais para ser superado".

Os custos da primeira fase da obra, que estava programada para avançar em 2022, estavam estimados em cerca de 14 mil milhões de libras (16 mil milhões de euros).

Mais Notícias