Adeptos do Corinthians condenados por matarem apoiante do Palmeiras

Penas de prisão variam entre os 16 e os 21 anos

Três adeptos do Corinthians foram hoje condenados a penas entre 16 e 21 anos de prisão, pelo homicídio de um apoiante do Palmeiras, em 2014, numa estação do metropolitano Franco da Rocha, em São Paulo.

Raimundo César Faustino, ex-vereador da cidade de Franco da Rocha, recebeu a pena mais pesada, enquanto Leonardo Gomes dos Santos e Gentil Chaves Siani foram condenados a 16 e 18 anos de prisão, respetivamente, pelo homicídio qualificado de Gilberto Torres Pereira, a 17 de agosto de 2014.

O tribunal de júri considerou que os três adeptos do Corinthians utilizaram métodos cruéis nas agressões -- com pedaços de madeira - e sem dar possibilidade de defesa ao adepto do Palmeiras, que morreu quatro dias mais tarde, em consequência dos ferimentos.

As agressões foram presenciadas por elementos da polícia militar brasileira, cujos depoimentos foram determinantes para a condenação dos três adeptos do Corinthians no julgamento, que começou na quarta-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG