Acordo de paz na Colômbia não será assinado em março como anunciado

Os mais de 50 anos de conflito entre o governo e a guerrilha das FARC causaram pelo menos 220 mil mortos, seis milhões de deslocados e milhares de desaparecidos

O acordo de paz entre o Governo colombiano e a guerrilha das FARC não vai ser assinado em março, conforme anunciado pelas duas partes, disse no domingo um negociador dos guerrilheiros numa entrevista difundida na televisão.

"Em nome da verdade, devemos ser claros e dizer que a 23 de março não vai ser assinado o acordo final", disse Jesus Santrich numa entrevista ao canal Noticias Uno.

Santrich, cujo nome verdadeiro é Seusis Pausivas Hernández, faz parte da delegação das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) nas negociações com o Governo iniciadas em Havana em 2012.

A 23 de setembro, o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, prometeu assinar um tratado de paz no prazo de seis meses com o líder das FARC, Timoleon Jimenez, conhecido por Timochenko, mas no início de novembro, a guerrilha considerou que a assinatura poderia ser atrasada devido a divergências.

As FARC, a mais antiga guerrilha da Colômbia, estabelecida em 1964 depois de uma revolta de camponeses, ainda conta com cerca de 7.000 combatentes, segundo as autoridades.

As FARC respeitam um cessar-fogo unilateral desde 20 de julho enquanto se aguarda uma trégua bilateral prometida pelo Presidente Santos até o final do ano.

Os mais de 50 anos de conflito causaram pelo menos 220 mil mortos, seis milhões de deslocados e milhares de desaparecidos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG