A queda mortal de Carmen nos esgotos: o regresso de mais um mito urbano

A história viral de uma adolescente morta empurrada pelos colegas reapareceu em meados de junho no Facebook. Uma simples lenda urbana de 2006 atualizada.

A morte de Carmen voltou a aparecer em publicações nas redes sociais em França, denuncia o Le Monde. A história é suficientemente trágica para prender a nossa atenção mas é falsa.

A história de Carmen Winstead (pode aparecer com outro nome) é geralmente contada assim: há uns anos, durante um exercício de alarme de incêndio numa escola americana, cinco jovens aproveitaram a evacuação para empurrar uma colega, fazendo-a cair no acesso aos esgotos. Carmen, que tinha na altura 17 anos, morreu.

Depois do relato do incidente, a história é completada com um novo episódio, mais recente, que prova, supostamente, que Carmen voltava à noite para assombrar aqueles que liam a história da sua morte mas não a partilhavam com a respetiva referência "RIP" ("rest in peace" em inglês, "descanse em paz" em português).

Este é um mito urbano já antigo. O site de verificação Hoaxbuster, especialista neste tipo de conteúdo, mencionou-o em 2011. Um outro site também especialista da revelação de fake news, Snopes, já tinha identificado esta história 2006. A história de Carmen já circulava no MySpace antes de chegar ao Facebook.

Na verdade, Carmen Winstead nunca existiu. O Le Monde cita o site americano de genealogia Ancestry que refere que apenas 16 pessoas tinham o primeiro ou o segundo nome Carmen e o sobrenome Winstead, das quais apenas seis eram conhecidas como Carmen Winstead. Todas morreram na idade adulta, exceto uma que nasceu em 1993 e morreu em 2002. As causas da sua morte são desconhecidas. Ela morava nos Estados Unidos, na Geórgia e não em Indiana como refere a tal publicação no Facebook, e morreu aos 9 anos, não aos 17.

Quanto à foto que a acompanha a publicação, foi adicionada à história de Carmen Winstead por volta de 2015 ou 2016 numa publicação em língua espanhola com o título "Ellos la empujaron" ("Eles empurraram-na"), uma versão modernizada da lenda urbana. Não foi possível identificar sua origem. No México, a história tornou-se novamente popular em 2019.

Na verdade, a história de Carmen pode aparecer com outro nome e outras diferenças também em português, em francês ou noutra língua. Por isso é importante que todos se mantenham atentos.

"Numa época de medos difusos, onde a insegurança é generalizada, as lendas urbanas funcionam como narrativas focam a nossa preocupação em ameaças concretas", escreveu Giana Targanski Steffen, da Universidade Brasileira de Florianópolis, num trabalho realizado em 2013 sobre o caso de Carmen. Neste caso, a ameaça é o assédio escolar. A história apresenta-se como uma maneira de "impedir a repetição de crimes, fraudes e enganos", mas tem o efeito colateral de aumentar o medo.

Mais Notícias