A micronação mais antiga da Austrália não resistiu à pandemia e às dívidas

O autodeclarado principado de Hutt River foi criado em 1970 e, apesar de não ser reconhecido oficialmente, emitia passaportes. Já havia dívidas e agora a covid-19 deu a machadada final no território que é uma atração turística.

A pandemia de covid-19 acabou com um reinado de 50 anos. Hutt River, uma micronação que não passava de um autodeclarado principado que emitia os seus próprios passaportes e no passado até declarou guerra à Austrália, está em vias de acabar. Nos últimos anos, a pequeníssima "nação" ficou conhecida como uma atração turística.

Mas o impacto económico da pandemia de covid-19, aliada a uma gigantesca dívida de impostos, forçou o principado a anunciar que finalmente se "rende" e junta-se à Austrália.

As origens de Hutt River como micronação datam de 1970, quando o falecido "príncipe" Leonard Casley explorou um vazio legal para criar o principado numa parte isolada da Austrália Ocidental, 500 quil´ometros a norte da capital do estado, Perth.

Com 75 quilómetros quadrados de terras agrícolas, Hutt River tem mais do dobro do tamanho de Macau, mas é habitado por menos de 30 pessoas.

O principado - embora não seja oficialmente reconhecido pelo governo australiano - agia como uma nação independente. O seu governo concedeu vistos e licenças de condução, emitiu passaportes e moeda, produziu os próprios selos e hasteou a sua própria bandeira.

Agora a sua jornada parece estar perto do fim.

Quando o príncipe Leonard morreu, em fevereiro do ano passado, deixou uma conta de impostos de 2,15 milhões de dólares, o que obrigou o filho e sucessor, o príncipe Graeme Casley, a anunciar na semana passada que o principado venderia as terras para pagar a dívida.

Casley disse à CNN que ficou arrasado ao dissolver a micronação. "É muito triste ver o seu pai construir algo durante 50 anos e ter de acabar", admitiu. "Estamos a viver tempos muito difíceis economicamente e em termos de saúde em todo o mundo devido à covid. Estamos a sofrer isso também", completou.

As micronações são entidades que afirmam ser Estados soberanos, mas não são legalmente consideradas independentes, ao contrário de microestados como a Cidade do Vaticano, que têm soberania reconhecida internacionalmente.

A Austrália gerou muito mais micronações do que a maioria dos países. Nas últimas décadas, dezenas de cidadãos declararam independência da Austrália e estabeleceram a sua própria nação.

Nenhuma ficou tão conhecida quanto o principado de Hutt River. Quando o príncipe Leonard decidiu separar-se da Austrália por causa do seu desacordo com os regulamentos agrícolas, transformou o principado numa atração turística única, com visitantes a chegarem para comprar passaportes, moedas e selos.

Mas, como os destinos turísticos em todo o mundo, o principado ficou vulnerável devido ao impacto económico da pandemia. O turismo foi uma das principais fontes de receita de Hutt River, principalmente nos últimos 15 anos, à medida que a internet ajudava a espalhar a sua estranha história pelo mundo.

Embora desapontado com o desfecho, o sucessor Graeme Casley diz que está "muito orgulhoso" do que o seu pai realizou e espera que a sua história seja lembrada por gerações futuras.

"Tenho tantas memórias maravilhosas de viver aqui (no principado). Depois da morte da minha mãe (em 2013), passei cinco anos a trabalhar a tempo integral ao lado do meu pai e era mais do que apenas uma relação pai-filho, tínhamos uma relação de trabalho muito profunda. O que ele criou aqui nos últimos 50 anos é incrível, é realmente uma história única", afirmou.

Mais Notícias