9 crianças e uma professora mortas após segurança incendiar creche no Brasil

Número de mortos subiu esta segunda-feira. Uma professora recebeu a Ordem Nacional de Mérito por salvar várias crianças

Morreu esta segunda-feira mais uma das crianças que estava na creche incendiada na semana passada por um dos funcionários, em Janaúba, Brasil. O número de vítimas mortais deste fogo posto subiu assim para 10: nove crianças e uma professora. O autor do crime, Damião Soares dos Santos, morreu no hospital horas depois do incêndio.

O segurança noturno despejou álcool sobre si e sobre as crianças e ateou o fogo na passada quinta-feira de manhã, numa altura em que estavam na creche Gente Inocente 75 crianças e 17 funcionários. Mais de 40 pessoas ficaram feridas - a maioria delas crianças - e até este domingo 23 continuavam hospitalizadas, algumas em estado grave.

Matheus Felipe Rocha tinha 5 anos e morreu na madrugada de hoje num hospital em Belo Horizonte, segundo o G1.

O incidente ocorreu no dia 5 de outubro, quando o guarda noturno Damião dos Santos, de 50 anos, entrou no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente de manhã. Este estabelecimento recebia crianças, com idades entre um e cinco anos, que vinham de famílias carenciadas.

O funcionário foi para a cozinha do estabelecimento, despejou álcool sobre uma colega e ateou um fogo. Depois fez o mesmo às crianças e professores que estavam em duas salas de aulas.

A única vítima mortal adulta do ataque, Heley Batista, recebeu a Ordem Nacional de Mérito este domingo, concedida pelo presidente Michel Temer. A professora de 43 anos morreu após conseguir salvar várias crianças do fogo e lutar contra Damião dos Santos.

"Este é o caso da Professora Heley Batista, que sacrificou sua própria vida para salvar a vida de seus alunos, em um gesto de coragem e de heroísmo que emocionou a todos", dizia o comunicado da presidência, citado pelo O Globo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG