8chan. O forum online onde são partilhados manifestos terroristas. "Fechem-no", pede o criador

Só este ano já foram anunciados três tiroteio na plataforma. O último foi o deste sábado, no Texas, em que morreram 20 pessoas e outras 26 ficaram feridas.

8chan é um fórum online norte-americano. Foi criado para partilhar opiniões e fomentar debates, mas está a ser usado, entre outras coisas, para promover as ideias de autores de atentados terroristas. "Fechem o site", pede o criador da plataforma, Fredrick Brennan, que deixou o 8chan no ano passado.

"Quando oiço falar de um atentado, digo okay, temos de ver se há alguma conexão com o 8chan", indica ao jornal norte-americano New York Times, Fredrick Brennan, na sequência dos dois tiroteios que aconteceram nos Estados Unidos desde sábado. Nas últimas 24 horas, morreram 20 pessoas e outras 26 ficaram feridas num atentado no interior de uma loja Walmart, em El Paso, no Texas, e outras nove morreram à porta de um bar em Dayton, Ohio.

Minutos antes de entrar no supermercado de El Paso, Patrick Crusius, o alegado autor do atentado do Texas, manifestava, em quatro páginas publicadas no fórum criado por Fredrick Brennan, o que iria fazer: matar o maior número de pessoas que conseguisse. Num longo texto, dividido em seis capítulos, o jovem declarava-se contra os imigrantes e hispânicos, culpando-os e aos americanos de primeira geração de tiraram aos norte-americanos os empregos mais qualificados e lugares nas universidades. Criticava ainda a mistura de culturas nos Estados Unidos.

Fredrick Brennan, que deixou a plataforma há cerca de um ano, pede agora o encerramento do site que criou e que é gerido por Jim Watkins desde 2015. "Não está a fazer bem nenhum ao mundo. É negativo para toda a gente exceto para os utilizadores que lá se encontram. E sabem que mais? Também é mau para eles. Eles simplesmente ainda não perceberam isso", diz.

Quando soube do tiroteio, Brennan escreveu na rede social Twitter: "Outro tiroteio do 8chan? Alguma vez vou poder seguir com a minha vida?".

O 8chan surgiu em 2013 como uma evolução do 4chan, a plataforma de mensagens online mais conhecida nos Estado Unidos, que desde os primeiros tempos suscitou alguma controvérsia por causa do conteúdo ali publicado, muitas vezes ofensivo. Por isso, Brennan criou o 8chan, uma "alternativa amigável e em defesa da liberdade de expressão", que foi mais longe e se tornou num microfone, como caracteriza o diário norte-americano, para anunciar tiroteios e numa plataforma de recrutamento para nacionalistas violentos.

Só este ano já foram anunciados três tiroteios no 8chan: dois em mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, em março, onde morreram 49 pessoas e outras 48 ficaram feridas, outro numa sinagoga de Poway, no sul da Califórnia, em abril, e o deste sábado em El Paso, no Texas. "O 8chan tornou-se quase um quadro de avisos, onde os piores transgressores partilham as suas ideias", diz Jonathan Greenblatt, diretor da Liga Anti-Difamação.

Mais Notícias