79 lusodescendentes concorrerem para cargos públicos na Califórnia

Do número total, "49 já tinham concorrido para outros cargos ou estão a concorrer de novo para cargos já ocupados", refere o presidente da Coligação Luso-Americana da Califórnia

Diniz Borges, presidente da Coligação Luso-Americana da Califórnia (CPAC), disse à Lusa que 79 lusodescendentes concorrem para cargos públicos na Califórnia nas eleições intercalares de novembro, incluindo congresso norte-americano, assembleia estadual e cargos municipais.

Dos 79 lusodescendentes identificados pela pesquisa da organização, "49 já tinham concorrido para outros cargos ou estão a concorrer de novo para cargos já ocupados", explicou o presidente da CPAC, referindo não foi possível ainda apurar se os restantes estão a candidatar-se pela primeira vez à eleições que se realizam no dia 6 de novembro.

Diniz Borges indica que "se pelo menos 60%" dos candidatos conseguirem ser eleitos, o número de homens e mulheres identificados como lusodescendentes em cargos públicos na Califórnia ultrapassará 110. Neste momento, estão identificados 88 luso-eleitos no estado onde existe a maior comunidade portuguesa do país.

A estimativa de 60% de candidatos vitoriosos é feita com base em tendências históricas: os incumbentes têm sempre maiores possibilidades de vencer eleições, particularmente, as locais e estaduais.

Da lista de 79 candidatos, 12 são mulheres. A CPAC acredita, no entanto, que o número possa ser mais elevado no caso de candidatas femininas, uma vez que a adoção dos apelidos dos maridos de outras etnicidades dificulta a identificação de lusoamericanas. Este é um obstáculo também quando se trata de lusodescendentes por parte da mãe, uma vez que não lhes é atribuído o apelido português.

Além das corridas mais mediáticas, como a reeleição dos três congressistas lusoamericanos, Jim Costa, David Valadão e Devin Nunes, existem também 20 lusodescendentes a concorrerem para autarcas, incluindo vários para presidentes de câmara. É o caso de Zachery Ramos em Gustine, que aos 19 anos pode tornar-se o mayor mais jovem de sempre.

No caso da assembleia estadual, são candidatos dois lusodescendentes - Cecília Aguiar-Curry, que está a terminar o seu primeiro mandato e procura a reeleição, e Justin Mendes, autarca na cidade de Hanford (Vale de San Joaquin) que concorre pela primeira vez a um cargo estadual.

Há ainda uma vaga de candidatos a cargos ligados a distritos escolares, algo que Diniz Borges considera importante porque "é um primeiro passo" para promover o ensino de português nas escolas públicas da Califórnia. Isto corresponde a um dos maiores objetivos do "Português Além-Fronteiras", o plano estratégico para o ensino da língua portuguesa no Estado, cuja prioridade é conseguir um maior número de lusodescendentes em cargos do ensino público, "quer sejam cargos eleitos ou nomeados".

O aumento previsto do total de lusodescendentes eleitos surge num ano em que as eleições intercalares assumem especial importância, dada a expectativa de que os Democratas ganhem o controlo da Casa dos Representantes no Congresso. Diniz Borges refere, no entanto, que não tem dados para afirmar que o dinamismo da comunidade possa ser "produto do desafiante ambiente político", visto que se trata da primeira vez que esta contabilidade é feita.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG