521 passageiros ficam em quarentena após peregrinação a Meca

Após aterrar em Nova Iorque, uma centena de passageiros e tripulantes sentiram-se indispostos. Autoridades só deixaram sair 11 passageiros, diretamente transportados para o hospital.

O voo 203 aterrou ontem em Nova Iorque vindo do Dubai com 521 passageiros mas nenhum deles pôde seguir para o seu destino porque, após a aterragem, cerca de 100 passageiros e elementos da tripulação sentiram-se indispostos e as autoridades sanitárias dos Estados Unidos proibiram o desembarque do avião da Emirates.

Segundo um porta-voz do mayor de Nova Iorque, Bill de Blasio, a maioria dos passageiros provinham da Arábia Saudita onde tinham realizado uma peregrinação a Meca. Foi descartada qualquer ameaça de terrorrismo.

Apenas onze passageiros foram autorizados a sair do avião, mas levados diretamente para o hospital. Os restantes ficaram em quarentena dentro da aeronave. Segundo a Emirates, todos os passageiros estão a ser medicados e aqueles que forem considerados livres de qualquer perigo irão ser autorizados a deixar o avião.

Caberá às autoridades sanitárias norte-americanas a decisão de libertar os passageiros, o que só acontecerá após exames médicos segundo referiram os responsáveis de Saúde. Mas, alertam para o facto de que se vierem a sentir algum sintoma deverão dirigir-se a uma unidade hospitalar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG