12 mortos e milhares de pessoas cercadas pelos fogos na Austrália

Aviões e embarcações militares australianos juntam-se aos esforços dos serviços de emergência. Há quatro mil pessoas em fuga em direção às praias.

Vários aviões e embarcações militares australianos irão ajudar os serviços de emergência australianos nos estados de New South Wales (NWS) e Victoria que estão a ser devastados pelos incêndios. Enquanto que em Sidney os festejos de Ano Novo não foram interrompidos, milhares de pessoas fugiram para as praias dos estados do sudeste esta terça-feira.

Em Mallacoota, Victoria, cerca de 4000 pessoas procuraram abrigo na costa. O número de mortos também subiu, de duas para doze vítimas confirmadas.

As autoridades, citadas pela BBC, dizem ainda que quatro pessoas estão desaparecidas em Victoria e outra em NSW.

"Temos literalmente centenas de milhares de pessoas a subir e a descer a costa, refugiando-se nas praias", disse Shane Fitzsimmons, comissário do Corpo de Bombeiros Rural de NSW.

O primeiro-ministro Scott Morrison e a ministra da Defesa Linda Reynolds concordaram em enviar aviões e embarcações militares a pedido do governo vitoriano. A Força de Defesa Australiana enviará helicópteros Black Hawk e Chinook, aeronaves de asa fixa e navios da Marinha para Victoria e NSW, as duas regiões mais afetadas.

Espera-se que os militares forneçam assistência humanitária e realizem evacuações, se necessário, nos próximos dias. Os EUA e o Canadá também foram convidados a fornecer "recursos especializados em aviação".

Os corpos das duas últimas vítimas - que se acredita serem pai e filho - foram encontrados na cidade de Corbargo, em NSW. Em Mallacoota, o corpo de bombeiros local disse que uma mudança na direção do vento afastou o pior dos incêndios da cidade.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG