Televangelista Pat Robertson deixa programa televisivo ao fim de 54 anos

Robertson já tem 91 anos. O seu canal emite onteúdos religiosos para mais de 100 países e territórios.

O homem que transformou uma pequena estação televisiva no Estado da Virgínia numa rede global de transmissão religiosa, Pat Robertson, anunciou que vai deixar de apresentar o programa diário '700 Club', meio século depois de ter começado.

O anúncio foi feito na sexta-feira pela Christian Broadcasting Network (CBN).

Robertson, que tem 91 anos, disse, em comunicado, que apresentou o programa pela última vez na sexta-feira e que o seu filho Gordon ia substituí-lo na animação deste programa diário, a partir de segunda-feira.

"Vou deixar de ser o animador do '700 Club' depois de, penso, 54 anos a fazê-lo", disse Robertson durante o programa de sexta-feira, se bem que tenha prometido regressar de vez em quando, se tiver uma "revelação" que precise de partilhar.

A CBN de Robertson começou a emitir em 01 de outubro de 1961, depois de ter adquirido a estação televisiva UHF, em Portsmouth, na Virgínia. A produção do '700 Club' começou em 1966.

Agora, baseada em Virginia Beach, a CBN assegura que emite conteúdos religiosos para mais de 100 países e territórios, em dezenas de línguas, através de televisão, vídeo, celebrações em linha e centros de oração.

O programa '700 Club' por ser visto na maioria do mercado televisivo dos EUA.

Robertson, que concorreu às eleições presidenciais nos EUA em 1988, fundou a Coligação Cristã, transformando os evangélicos dos EUA em uma importante força política conservadora.

Enquanto apresentador do '700 ​​​​​​​Club', Robertson desencadeou fortes polémicas, como em 2005 quando apelou ao assassínio do presidente da Venezuela, Hugo Chavez.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG