Novo "chef" do 24Kitchen traz comida saudável e diversificada

Leonardo Pereira, antigo "sous-chef" do restaurante dinamarquês Noma, dono de duas estrelas Michelin, apresenta o programa "Chef de Raiz" a partir de quinta-feira

Uma mistura de sabores portugueses, ligados à terra, com algo que seja "diferente". É este o menu de Chef de Raiz, o novo programa de produção nacional do 24Kitchen, que arranca já nesta quinta-feira, pelas 21.00, no canal por cabo, conduzido por Leonardo Pereira, um estreante nas lides televisivas mas que, com 31 anos e 13 de profissão, já foi sous-chef do dinamarquês Noma, o restaurante detentor de duas estrelas Michelin que já foi eleito o melhor do mundo, em 2010, 2011, 2012 e 2014, pela conceituada revista Restaurant.

"O programa gira em torno de uma cozinha saudável, mas que não é limitada na sua diversidade, quer seja no que podemos cultivar, ingerir ou nas formas de cozinhar. São receitas acessíveis, grande parte delas rápidas de fazer", antecipa ao DN o chef natural de Santa Maria da Feira, onde reside atualmente, depois de uma década a trabalhar pelos quatro cantos do mundo, e que se junta a outras apostas nacionais do 24Kitchen como Filipa Gomes e Cátia Goarmon.

Além disso, cada um dos 44 episódios da primeira temporada de Chef de Raiz, que será exibido aos dias de semana, terá um tema, nunca fechado a uma categoria: vai desde as guarnições, aos churrascos, ao pão, aos smoothies ou até... às marmitas para levar para o trabalho.

Esta nova adaptação do seu mundo dos pratos ao universo televisivo não foi imediata, mas não tardou a chegar. "A primeira semana custou um bocadinho, porque não fazia parte do meu dia-a-dia. Nunca tinha estado nesta situação. Mas a equipa foi fantástica e pôs-me muito à vontade, isso foi muito importante", conta o chef, tendo de mudar alguns hábitos antigos - "falar para a câmara em vez de para baixo, para os tachos", ri-se. "Depois, como sou do Norte, tenho uma forma específica de dizer algumas coisas, corrigiam-me muitas vezes os gês e os zês. Mas a cozinhar não houve problema, fizemos tudo à primeira", relata, bem-disposto.

Leonardo Pereira conta que a carreira como chef nasceu por "obra do acaso", mas a sua paixão pela gastronomia, essa, já vinha desde pequeno. "Cresci numa quinta em Milheirós de Poiares. Tinha hortas com cebolas, cenouras, couves, nabos, favas, nabiças... e ainda associo muito os sabores a isso. Por exemplo, sou um snob com limões, não gosto de comprar limões, gosto dos que tenho em minha casa", revela. O peixe, ficou a conhecê-lo melhor quando viveu, durante dois anos, junto ao mar, perto de Ovar, também em criança. "Em todos esses sítios houve uma ligação forte com a comida, transversal a toda a minha infância, até porque a minha mãe sempre gostou de comer bem", recorda Leonardo.

Aos 15 anos, sem saber bem que rumo profissional seguir, viu um anúncio num jornal e decidiu inscrever-se no curso de Cozinha na Escola de Hotelaria de Santa Maria da Feira, ao longo de três anos. E assim foi. Depois da formação, e de uma curta experiência em dois restaurantes em Ovar e Aveiro, decide emigrar, com 18 anos. "Não acho que se tenha de sair do país para se crescer, mas para mim era algo óbvio e um passo natural. Quando saí, já sabia que iria ficar muito tempo fora", conta ao DN.

Durante a década em que esteve fora de Portugal, entre 2004 e 2014, nunca parou, arrecadando experiência em restaurantes em Espanha, Suécia e Dinamarca, nesta última durante cinco anos no já referido e conceituado Noma. "Foi fantástico, incrível. Aprendi não só a pensar na comida, mas noutros aspetos do ramo", adianta o antigo sous-chef desse estabelecimento.

As saudades da família acabaram por ditar o regresso ao nosso país, há dois anos. Quando voltou, esteve um ano a liderar a cozinha do Hotel Areias do Seixo, em Santa Cruz, mas acabou por sair. "Senti que não era aquilo que eu queria", diz.

O jovem chef, que já gravou toda a primeira temporada de Chef de Raiz, está de volta a Santa Maria da Feira, mas divide o seu tempo entre a sua terra natal e o resto do mundo. Só nos últimos 12 meses, por exemplo, já participou em eventos de culinária em países como Brasil, Eslovénia, Tailândia, Itália, Reino Unido, Bélgica e Suécia. "Nestas ocasiões, vou acabando por conhecer outras coisas e culturas diferentes", remata.

Próximo sonho é um espaço seu no Porto
O próximo objetivo na carreira de Leonardo Pereira já está bem definido - abrir um restaurante em seu nome, com o qual possa ser totalmente independente. "Uma das razões para ter voltado [para Portugal] foi por sentir que queria experimentar cozinhar por mim próprio. Sempre tive bastante liberdade criativa mas foi sempre sob a tutela de alguém. E para começar essa viagem, senti que seria melhor no nosso país", relata.

O novo rosto do canal 24Kitchen adianta: "Este ano colocou-me várias coisas em perspetiva, sobre aquilo que gosto de cozinhar e o que acho que um restaurante deve ser." O jovem chef acrescenta que gostaria de que o seu primeiro espaço tivesse lugar no Porto. "Porque tenho uma ligação forte com a cidade. Sinto o Porto mais autêntico, mais humano do que Lisboa. E há muita gente nova a gerir o seu próprio negócio. Isso é muito importante", conta ao DN Leonardo Pereira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG