'Guerra e Paz': primeiro em Portugal e depois no mundo

A produção da BBC estreia-se esta noite na RTP1, apenas semana e meia após o seu arranque em Inglaterra. Com argumento de Andrew Davies, é composta por oito episódios

Qualquer coisa como 2,72 milhões de euros por episódio. Os valores que envolvem a produção de Guerra e Paz, adaptação pela BBC do romance homónimo de Leon Tolstói, são extraordinários para uma produção europeia. Esta minissérie, cujas emissões arrancaram no dia 3 no Reino Unido - tendo sido acompanhada por seis milhões de espectadores -, chega esta noite à RTP1, fazendo que Portugal seja o primeiro país estrangeiro a emiti-la.

Com argumento de Andrew Davies, o mesmo que escreveu os sucessos televisivos House of Cards e Orgulho e Preconceito, esta Guerra e Paz é interpretada por Aneurin Barnard, Jessie Buckley e Paul Dano e chega ao pequeno ecrã 44 anos depois de Anthony Hopkins ter protagonizado a mesma história em televisão. Aliás, a série a que Hopkins deu vida em 1972 é a mais conhecida adaptação do romance publicado entre 1865 e 1869 numa revista.

Para contar a história de cinco famílias da aristocracia russa - com destaque para três delas - durante a época napoleónica, mais precisamente durante a invasão da Rússia pelas tropas de Napoleão, Andrew Davies - que revelou em entrevista à BBC nunca ter lido a obra até lhe ter sido sugerido este projeto - adiantou que não se sentiu nunca "apavorado" por ter de passar a formato de minissérie aquela que é uma das mais volumosas da história da literatura.

"Falámos bastante sobre isso e concluímos que seis episódios seria o mínimo. Não acredito que alguém vá sentir que contamos a história [ambientada entre os anos de 1905 e 1912] de forma apressada", frisou o argumentista. Estruturar a trama também "não foi complicado" e Davies garante que se manteve fiel à original. "Não senti necessidade de alterar o que quer que fosse de Guerra e Paz. Ocasionalmente, escrevi uma ou outra coisa que Tolstói se esqueceu de escrever", brincou.

Letónia, Lituânia e Rússia foram os locais escolhidos para as filmagens da minissérie realizada por Tom Harper e que convenceu a crítica. "De tirar a respiração" para Ben Lawrence do The Telegraph ou "difícil de imaginar como a BBC poderia ter feito melhor" para Viv Groskop do The Guardian juntam-se a elogios como o que foi feito pelo The Independent: "A BBC decidiu tomar medidas arrojadas para ter a certeza de que esta adaptação é, ao mesmo tempo, controversa e memorável. A perspetiva arriscada da história de Tolstói faz dela uma vencedora."

Depois da estreia em Inglaterra e hoje em Portugal, a minissérie, que conta com participações de Gillian Anderson, Rebecca Front e Stephen Rea, ruma aos EUA para ser vista, simultaneamente, nos canais A&E, Lifetime e História (a partir de dia 18), e ainda à Austrália, Suécia, Dinamarca, Grécia, Luxemburgo e Israel, entre outros países.

"Qualificar as noites da RTP1"

Primeiro a portuguesa Terapia, agora a britânica Guerra e Paz. As duas primeiras apostas de 2016 em ficção apontam o caminho que a direção de programas do canal tem desenhado para os próximos meses. "Guerra e Paz é apenas mais um passo no cuidado com que estamos a trabalhar para qualificar cada vez mais as noites da RTP1", refere ao DN o responsável, Daniel Deusdado. "É um caminho longo, demorado, mas de mudança significativa face ao paradigma anterior - mesmo que não represente um resultado imediato nas audiências", completou o diretor de programas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG