Fátima Lopes deixa a TVI e segue "sem projeto definido"

Nem contrato de apresentação, nem subdireção. A apresentadora rescindiu todos os contratos com TVI, Fátima Lopes sai sem projeto definido "mas com a paz própria de quem aprendeu, com a sua educação e formação", qual o caminho a seguir

Foi, durante 11 anos, rosto icónico de Queluz de Baixo, tendo assegurado as tardes da estação e conduzido recentemente programas de entrevista. Porém, a permanência de Fátima Lopes, de 51 anos, na estação de Queluz de Baixo chegou sexta-feira, 8 de janeiro, ao fim, já ao final do dia. Uma saída que, sabe o DN, "teve lugar após um período de negociações entre advogados".

Apesar de fonte da estação ter reiterado que esta saída de Fátima Lopes da estação, que conta com Cristina Ferreira, 43 anos, como diretora de Ficção e Entretenimento, não abranger a sua saída como subdiretora de conteúdos, a apresentadora deitou isso por terra menos de 24 horas depois. "Acabo de denunciar o contrato de trabalho que e liga ainda à TVI, pelo que, daqui a dois meses, não terei qualquer ligação" à estação.

Fátima Lopes diz, no Instagram, sair "sem projeto futuro definido". A hipótese de ir para a SIC adensou-se durante este sábado, 9 de janeiro, mas nem uma palavra sobre essa possibilidade. Numa mensagem de agradecimento a equipas, "de dever cumprido" e de ter "respeitado escrupulosamente, ao longo deste tempo, todas as obrigações e deveres profissionais com lealdade e enorme dedicação", deixa uma nota final: "Saio com a paz própria de quem aprendeu, com a sua educação e formação, que o tempo, a experiência e a vida, indicam-nos, sempre, o caminho a seguir".

A apresentadora estava a preparar-se para estrear um formato original italiano para as noites de sábado, o C"è posta per te, um programa alicerçado em histórias reais de afeto e reencontro entre os participantes, evocando trabalhos que Fátima Lopes tinha já feito, na SIC, em início de carreira, como Perdoa-me ou All You Need Is Love. "Este novo formato até já estava em pré-produção pela Shine Iberia", afirma elemento da estação. O comunicado emitido pela TVI na noite de sexta-feira, 8 de janeiro, dizia que "lamentavelmente, a apresentadora não aceitou dar seguimento a este projeto nos moldes que lhe foram propostos pela TVI".

Recorde-se que, refere fonte do canal de Queluz de Baixo, "Fátima Lopes teve uma redução salarial em junho, de cerca de 40%, para 25 mil euros", assegurando a condução do novo formato da Shine. Porém, a imprensa tem dado nota de cortes bem mais duros. Têm sido frequentes os rumores de alguma instabilidade nas relações entre a apresentadora e Cristina, mal-estar que ambas tinham vindo a desmentir. Aliás, o comunicado da TVI também referencia esse facto, negando-o. Fátima Lopes estreou-se em Queluz de Baixo "em setembro de 2010 à frente do programa Agora é que conta e, durante estes anos, apresentou grandes formatos como Pequenos Gigantes e Let´s Dance.", lê-se no comunicado da estação. Entre 2011 e 2020 conduziu o programa A Tarde é Sua.

Fora do entretenimento, mas a pensar na ficção é certo que a Media Capital quer introduzir alterações nessa componente da estação e, na mesma noite de sexta-feira, foi avançado pela imprensa o regresso da produtora Gabriela Sobral aos conteúdos de produção nacional. Nem a responsável, nem a TVI fizeram, até ao fecho de edição, qualquer confirmação ou desmentido. Gabriela Sobral mudou-se da TVI para a SIC em 2010, tendo negociado a sua saída do canal de Balsemão em 2018.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG