Elétricos com preço para operários em 1935

Foi a 1 de agosto de 1935 que a Carris iniciou a cobrança de tarifas especiais para os operários nos elétricos de Lisboa. A medida foi um sucesso enorme, aplaudida na época como sinal das preocupações sociais de Salazar, chefe do governo desde 1932.

As tarifas sociais para os carros elétricos de Lisboa foram uma ideia de Pedro Teotónio Pereira, subsecretário de Estado das Corporações e Previdência Social, que recebeu o apoio da Carris e da Câmara de Lisboa. No DN de 6 de julho de 1935 a iniciativa dos "carros elétricos para o povo" teve direito a título na primeira página, ao lado da manchete que assinalava "os milhares de telegramas de todos os pontos do país" recebidos por António de Oliveira Salazar no seu terceiro aniversário como chefe do Governo. E a 2 de agosto, o jornal noticiava como na véspera "os elétricos para operários" tinham começado a circular em Lisboa com "carreiras a preços reduzidos". Para uma zona eram 30 centavos, para duas 40 e para quatro ou mais zonas 50 centavos. Os itinerários das carreiras económicas eram Belém-Almirante Reis, Belém-Caminhos de Ferro, Ajuda-Rossio, Rossio-Poço do Bispo e Praça do Comércio-Alto de São João. Começavam e terminavam a horas adequadas ao operariado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG