Documentário mostra o verdadeiro rosto do lado negro da Força

"I Am Your Father", que o Odisseia estreia hoje às 22.30, revela a história do primeiro Darth Vader

"Com este documentário queremos tentar clarificar o que realmente aconteceu e porque é que o David se tornou um dos mais odiados atores da saga". Para bom entendedor, meia palavra basta. Ou melhor, para fã de Guerra das Estrelas, basta a declaração anterior para se perceber do que estamos a falar. Mas para o leitor que até pode acompanhar a saga criada por George Lucas mas não sabe quem é David Prowse, a frase de Toni Bestard, um dos realizadores do documentário I Am Your Father, carece de uma explicação preliminar.

David Prowse foi o ator que deu vida ao vilão da saga Star Wars na trilogia original (Guerra das Estrelas, de 1977, O Império Contra-Ataca, de 1980 e O Regresso do Jedi, de 1983). Embora nunca tenha sido sua a voz cavernosa de Vader (essa foi "emprestada" pelo norte-americano James Earl Jones), Prowse foi escolhido para encarnar o cavaleiro Jedi que se deixa dominar pelo lado negro da Força e se torna o braço direito do líder do Império Galático. No entanto, quando Luke Skywalker retira a máscara a Vader, no filme O Regresso do Jedi, e vê pela primeira vez o rosto do seu pai, não é a cara de David Prowse que surge no grande ecrã mas sim o de outro ator, o também britânico Sebastian Shaw.

Tal aconteceu devido a uma entrevista que Prowse concedeu a um jornal californiano, em 1978, na qual revelou aquele que era, à altura, o segredo mais bem guardado da Guerra das Estrelas: Darth Vader era, afinal, o pai de Luke Skywalker. George Lucas nunca lhe terá perdoado o spoiler, termo que, há quase 40 anos, praticamente não existia no universo da cultura pop.

Apesar de continuar a ser uma das personalidades mais bem-amadas pelas legiões de fãs da saga, Prowse tornou-se persona non grata junto da gigantesca máquina que produz os filmes. Algo que, para os realizadores de I am Your Father, não foi impedimento para concretizar o documentário. Em entrevista ao DN, Toni Bestard explicou que "não foi difícil convencer Prowse" a participar no filme. "O Marcos [Cabotá, também realizador do documentário] conheceu-o há alguns anos no Sitges Film Festival. Ficou com o número dele e telefonámos-lhes. Uns dias depois, visitámo-lo na sua casa, em Londres, e ele ficou espantado por dois realizadores espanhóis estarem interessados em fazer um documentário sobre a vida dele", relata.

Dificilmente Toni Bestard e Marcos Cabotá enveredariam nesta odisseia se não fossem aficionados da saga criada por George Lucas. Mas não foi esse o motivo principal que levou os realizadores a contarem a história de Prowse. "Somos fãs da Guerra das Estrelas, mas a nossa principal motivação foi contar a história de interesse humano sobre o ator por detrás da máscara", explica Bestard, acrescentando: "O David é o melhor exemplo de alguém que viveu sob o anonimato de uma das mais icónicas personagens da história do cinema. O nosso documentário mostra como isso mudou a vida dele, para o bem e para o mal".

Ao longo de quase quatro décadas, Prowse parece ser uma sombra que persegue George Lucas. Em 2010, o criador da maior epopeia cinematográfica passada no espaço afastava de vez o ator britânico de qualquer evento oficial relacionado com a sua produtora, a LucasFilm, devido a afirmações feitas por Prowse... mais uma vez na imprensa. Em 2009, em declarações ao The Times, David afirmava que o seu contrato tinha sido violado, uma vez que lhe tinham garantido que seria a sua cara e voz a surgirem na trilogia. Argumentava também que o seu contrato estipulava que lhe seria paga uma pequena percentagem dos lucros de bilheteira de dois dos três filmes em que participou (O Regresso do Jedi e O Império Contra-Ataca), dinheiro esse que nunca lhe foi entregue porque, explicou, os produtores lhe garantiram que os custos de produção tinham sido superiores às vendas de billhetes.

Sobre a possibilidade de Prowse se ter tornado um homem amargo devido a estes desenvolvimentos, Bestard conta: "Ele não é uma pessoa ressentida. Está grato pela oportunidade que George Lucas lhe concedeu. Aconteceram mal-entendidos durante a produção da primeira trilogia e o David esteve sempre envolvido", explica, acrescentando: "Ele é um homem simples e a sua paixão sempre foi o halterofilismo, mais do que o cinema. Agora, aos 80 anos, viaja pelo mundo para dar autógrafos e tirar fotografias com fãs. No tempo livre, é um tipo normal que gosta de estar na sua humilde casa em Londres com a família".

I Am Your Father estreia-se hoje no Odisseia, às 22.30. Guerra das Estrelas: O Despertar da Força, chega ao cinema na quinta-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG