Mais 101 oliventinos receberam nacionalidade portuguesa

Alcaide de Olivença fala de características históricas que dão à localidade "um valor diferencial na Península Ibérica".

Na passada sexta-feira, 101 oliventinos receberam o cartão de cidadão português na Casa da Cultura de Olivença, no mesmo dia em que se realizou uma jornada técnica em torno da lusofonia.

Este evento foi promovido pelos cofundadores da Associação Cultural Além Guadiana, Eduardo Naharro e Joaquín Fuentes, para discutir e esclarecer alguns aspetos técnicos para a obtenção da nacionalidade portuguesa por parte dos cidadãos de Olivença, bem como os seus descendentes ou emigrantes da localidade espanhola.

O alcaide (presidente da câmara) de Olivença, Manuel González, realçou o grande trabalho desenvolvido pelos membros da extinta Associação Além Guadiana, que "continuam a promover a cultura e a língua portuguesa em Olivença". "Tendo sido esse um dos objetivos para que foi fundada a associação, não há dúvida de que o conseguiram e foram mais longe, possibilitando a qualquer oliventino ou oliventina ter o seu cartão de nacionalidade ou bilhete de identidade, uma característica única que nos confere um valor diferencial na Península Ibérica", afirmou. O autarca oliventino destacou o valor histórico e os laços de união com Portugal: "A história deu-nos ferramentas úteis no presente e que podem ajudar a continuar a construir um futuro cheio de esperança. Parte desse futuro depende das relações com Portugal."

Um pedido cada vez mais frequente

Olivença foi portuguesa até ao ano de 1801, fica a 23 km de Elvas, no distrito de Portalegre, e a 24 de Badajoz, província a que pertence, na Região Autónoma da Estremadura espanhola. A ligação a Elvas e ao restante território português é feita por uma ponte sobre o rio Guadiana, construída no ano 2000, ao lado das ruínas da antiga Ponte da Ajuda, destruía depois da tomada da vila, pelos espanhóis.

O processo de obtenção da nacionalidade portuguesa por oliventinos tem sido levado a cabo desde há vários anos a esta parte e algumas centenas de pessoas de Olivença já a obtiveram.

Em 2014, por exemplo, 80 habitantes de Olivença adquiriram a nacionalidade portuguesa, tendo sido entregues vários lotes de processos com algumas dezenas de pedidos junto do Estado português para obter a dupla nacionalidade, através da Associação Além Guadiana, tal como aconteceu em 2018, quando 103 habitantes obtiveram dupla nacionalidade.

Nas legislativas de 2019, pela primeira vez na história, cerca de 500 habitantes de Olivença com dupla nacionalidade puderam exercer o seu direito de voto nas eleições para o Parlamento português.

Entre os motivos que os levam a solicitar a dupla nacionalidade estão os vínculos culturais e afetivos, sendo que, sobretudo nas gerações mais jovens, o pedido de nacionalidade portuguesa se baseia em eventuais oportunidades educativas. A Estremadura é a região espanhola onde há mais alunos a estudar a língua portuguesa. Segundo dados obtidos pelo Instituto Camões junto das autoridades educativas locais, havia na Estremadura espanhola mais de 22 mil alunos em 2020.

Serviço especial da Rádio ELVAS ​​​​​​​para o Diário de Notícias.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG