Portugal quer adiar conferência dos oceanos da ONU que se realiza em Lisboa

A conferência da ONU sobre os Oceanos prevista para junho, em Lisboa, pode ser adiada devido à pandemia do coronavírus. Essa é a vontade conjunta dos países organizadores: Portugal e Quénia.

Os dois países organizadores já iniciaram o processo para o adiamento e já o comunicaram à ONU, a quem cabe agora tomar a decisão, disse a fonte, indicou fonte do governo à agência Lusa.

A conferência está prevista para o Altice Arena, em Lisboa, de 02 a 06 de junho, tendo como principal objetivo apelar para uma maior ação na conservação e regeneração dos oceanos.

O Governo justifica o pedido de adiamento pelas "circunstâncias extraordinárias" que se estão a viver (o novo coronavírus que provoca o Covid-19 e que se está a espalhar pelo mundo inteiro). Agora, disse a fonte, o processo de adiamento segue para as Nações Unidas, a quem cabe formalizar o adiamento.

O processo burocrático passa por diligências para garantir a adoção, pela Assembleia-Geral da ONU, de uma resolução que adie a conferência para "data a definir", logo que voltem a estar reunidas "as condições necessárias", segundo a mesma fonte.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infetou mais de 220 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.900 morreram.Das pessoas infetadas, mais de 85.500 recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. O número de mortos no país subiu para três.

Mais Notícias