Covid-19: Limpeza, proibições e refeições. O que estão a fazer as freguesias de Lisboa

Carnide, Penha de França, Alvalade, Estrela e Areeiro à semelhança de outras freguesias lisboetas, decidiram cancelar atividades e limitar a utilização de alguns espaços públicos. Ao mesmo tempo reforçaram a higiene urbana e lançaram serviços de apoio para combater a pandemia da covid-19.

As praças de Lisboa amanhecem agora com um ar menos convidativo, sem movimento. Nos mercados municipais limita-se a entrada de pessoas e por toda a cidade fecharam parques e vedaram equipamentos de fitness. As juntas de Freguesia de Lisboa lançaram medidas para prevenir a propagação do vírus e manter a população em casa.

Em Carnide, "tudo o que são parques de fitness, polidesportivos, parques infantis, bancos entre outros estão condicionados com fita balizadora", contou o Fábio Martins de Sousa, presidente da junta. Ainda assim, a manutenção continua a ser feita diariamente por três equipas que cumprem turnos quinzenais. Trabalham duas equipas ficando uma de reserva em casa.

A Penha de França ao verificar que algumas pessoas continuavam a fazer a sua rotina diária, que passa por juntarem-se na conhecida Praça Paiva Couceiro, não tomou meias medidas: retirou as cadeiras e mesas do espaço "para garantir a saúde de todos e evitar aglomerações". Além disso a freguesia encerrou parques infantis, equipamentos de fitness e as casas de banho existentes na Alameda D. Afonso Henriques. Em todos os bancos de descanso foi colocado um aviso para não serem utilizados e no parque canino foram impostas restrições ao número de animais e pessoas que podem entrar.

O foco da Junta de Freguesia de Alvalade tem sido os serviços que dão respostas sociais, que são os mais procurados pelos habitantes. O atendimento, que geralmente acontecia em três pólos, é agora feito de forma limitada apenas em um - na Biblioteca Manuel Chaves Caminha. Esta encontra-se fechada, mas no piso térreo há um funcionário da Junta para atendimentos presenciais urgentes que acontecem "apenas e exclusivamente por marcação, com devida justificação da urgência do pedido", garantiu José António Borges, Presidente da junta de Alvalade. Todos os outros atos administrativos continuam a ser cumpridos por cerca de 20 trabalhadores em registo de teletrabalho.

Apesar da maioria dos funcionários se encontrar em teletrabalho, também a Junta de Freguesia de Carnide garante atendimento de duas horas diárias - das 10h às 12h - ficando a sede da Junta aberta com uma equipa rotativa. A linha permanente da Junta, que funciona toda a semana 24 horas por dia, é outra opção para os fregueses, estando neste momento a funcionar apenas para dar resposta às situações novas que têm surgido nestes tempos de pandemia - como por exemplo o agravar do isolamento dos idosos.

O atendimento na linha é feito por quatro pessoas, sendo que trabalham duas em simultâneo, em turnos de 12 horas. Estes trabalhadores, incluindo o próprio presidente da Junta que também faz este atendimento, estão em registo de teletrabalho. Fábio Martins de Sousa, presidente da freguesia, lembra que já aconteceu as pessoas não conseguirem ligar para a linha de saúde 24h e ligaram para esta linha da Junta à procura de apoio. "Tentamos dar suporte, nem que seja através de indicações de alguma médica do nosso centro de saúde".

A Junta de Freguesia da Penha de França criou uma linha de apoio para pessoas isoladas (exclusiva para habitantes com mais de 65 anos, com doenças crónicas ou em quarentena decretada pelas autoridades de saúde). O serviço, disponível desde 16 de março já apoiou, segundo dados oficiais da junta, 258 agregados familiares.

O apoio consiste na entrega de refeições prontas (cedidas pela Câmara Municipal de Lisboa), realização e entrega de compras de supermercado e farmácia e passeio de animais de estimação, entre outros serviços. Adicionalmente, a Junta de Freguesia da Penha de França está a apoiar outros 23 agregados familiares economicamente desfavorecidos, compostos por pessoas que recebem o apoio habitual da Mercearia Social da Penha de França, bem como outros casos encaminhados por instituições parceiras, como a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Em menos de um mês, ao conjunto dos agregados apoiados foram fornecidas 417 refeições, 180 pedidos de produtos de supermercado, 45 de farmácia e 13 serviços de alimentação e passeios de animais de estimação.

"SOS Estrela" é a linha de apoio criada pela Junta de Freguesia da Estrela. Associada a esta surgiram outras iniciativas, como o programa de apoio de refeições a famílias carenciadas, que efetua distribuição ao domicílio de refeições feitas e fornecidas por parceiros locais.

Atividades canceladas

Para além das medidas de apoio, a pandemia da covid-19 levou ao cancelamento de muitas atividades, a cargo das juntas. Em Alvalade foram canceladas as inscrições para o programa Alvalade em Férias. O Pavilhão Municipal de Alvalade, gerido pela Junta, onde aconteciam atividades desportivas, encerrou. Também o Centro Cívico, em Monte Pedro, onde acontecia o projeto Universidade Sénior frequentado por cerca de 200 idosos, fechou. No entanto, o piso térreo do mesmo edifício continua a funcionar para reuniões de associações e coletividades locais.

Já em Carnide foram canceladas todas as atividades do mês de março e de abril de 2020. No entanto, as inscrições online tanto de monitores, como de interessados para as animações de verão de 2020, que ocorrem em julho, mantêm-se até ao dia 30 de abril. Fábio Martins de Sousa, Presidente da Fregusia de Carnide explica que esta decisão advém da imprevisibilidade do estado do país. "Quisemos jogar pelo seguro e assegurar que estaríamos em condições de as pôr em marcha".

Reforço da higiene urbana

Mas o novo coronavírus não paralisou tudo. Em Alvalade as obras continuam. Além disso, e segundo o presidente da Junta "os processos de contratação também". Na freguesia a higiene urbana é realizada por duas equipas, cada uma com 30 trabalhadores, que trocam a cada duas semanas. Quanto à manutenção dos espaços verdes, esta continua a ser feita por uma empresa externa. Os produtos de higienização para a desinfeção e limpeza das ruas foram disponibilizados pela Câmara de Lisboa.

No Areeiro a higiene urbana está a funcionar "a meio gás", pois há pessoas que estão em casa por serem funcionários de risco. Já nos espaços verdes mantém-se a manutenção normal feita completamente por uma empresa externa, ainda que todo o processo seja gerido e fiscalizado por um membro da Junta.

Carnide reforçou o investimento nos espaços verdes e higiene urbana. Por motivos de prevenção, os trabalhadores responsáveis pela manutenção foram reduzidos a metade. A equipa era constituída por 70 elementos e agora são 40. "Há algumas pessoas, que por estarem enquadrados nos grupos de risco, mandámos para casa", explicou o presidente ao DN.

Na Estrela, a equipa de higiene urbana lava as ruas com desinfetante em vários períodos do dia, em áreas que se considerem de maior pressão demográfica e próximas de interfaces de transportes, restauração e outros focos comerciais. Para manter a população informada, a autarquia divulga mapas com as ruas desinfetadas nas redes sociais.

A Junta está também a preparar uma operação de desinfeção de outros espaços de utilização coletiva, como espaços comuns de condomínios ou equipamentos de apoio social. A primeira intervenção já foi realizada, no âmbito da limpeza e desinfeção de um lar de uma instituição sediada no território, com vários casos confirmados de covid-19.

Mais Notícias