Exclusivo Xi promete reunificação "pacífica" com Taiwan

Pequim e Taipé assinalam este domingo o aniversário da revolta de 10 de outubro de 1911, que levou à queda da dinastia Qing.

O presidente chinês, Xi Jinping, defendeu ontem que a reunificação da China com Taiwan "deve ser realizada e irá definitivamente ser realizada", indicando contudo que uma "reunificação de forma pacífica é a que está mais em linha com os interesses gerais da nação chinesa, incluindo os dos compatriotas" taiwaneses. Estas declarações surgem depois do aumento da tensão na região, com inúmeras incursões aéreas chinesas na Zona de Identificação da Defesa Aérea da ilha, e em véspera do Dia Nacional de Taiwan.

Hoje assinala-se o aniversário da revolta de 10 de outubro de 1911, que levou à queda da última dinastia Qing e ao nascimento da República da China. Em 1949, após ser derrotado pelo Partido Comunista Chinês, o Partido Nacionalista (Kuomintang) refugiou-se na ilha de Taiwan, que funciona como uma entidade política soberana - oficialmente apelidam-se de República da China. Pequim também assinala a data, reconhecendo a importância da revolução de Sun Yat-sen (o primeiro secretário-geral do Kuomintang que viria a ser o primeiro presidente do país), mas focando-se nos seus apelos por patriotismo e rejuvenescimento nacional.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG