UE eleva tom contra Marrocos enquanto migrantes continuam a entrar em Ceuta

A entrada constante de migrantes no território no território espanhol de Ceuta elevou o tom da União Europeia contra Marrocos ao afirmarque não será intimidada na questão migratória.

De acordo com a Agence France Press, desde segunda-feira, oito mil migrantes entraram no enclave espanhol no Norte de África, uma situação que tem como pano de fundo uma disputa diplomática entre Rabat e Madrid, após o atendimento médico prestado pela Espanha ao líder independentista do Saara Ocidental, um território que o governo marroquino considera seu.

Ao mesmo tempo, o governo espanhol prometeu "restaurar a ordem" no pequeno território de 84.000 habitantes.

Nesta quarta-feira, soldados foram mobilizados nas praias fronteiriças, enquanto um navio da Guarda Civil tentava impedir a passagem de migrantes a nado, que não desistem apesar dos riscos.

A Espanha aumentou nas últimas horas a pressão diplomática sobre Marrocos, um parceiro crucial para o controle do fluxo migratório. A embaixadora marroquina em Madrid foi convocada ontem, terça-feira para que o governo manifestasse a "irritação e repúdio à entrada em massa de migrantes marroquinos em Ceuta".

Madrid recebeu o apoio e solidariedade das autoridades europeias, e esta quarta-feira, o vice-presidente da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, advertiu que a "Europa não se deixará intimidar por ninguém" na crise migratória, uma referência velada ao Marrocos.

"Observamos nos últimos meses algumas tentativas de terceiros países (...) de instrumentalizar a migração e isto não podemos permitir", destacou Schinas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG