Temos de "estar preparados para algo que pode ainda ser mais grave no futuro", alerta OMS

A pandemia de covid-19 está a ser "muito severa", mas o mundo poderá enfrentar outras crises sanitárias piores, alertou Michael Ryan, da Organização Mundial da Saúde, no dia em que se assinalou um ano desde que a agência da ONU teve conhecimento da propagação do novo vírus na China.

A infeção pelo novo coronavírus teve um impacto devastador em todo o mundo, mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou esta segunda-feira que o mundo poderá enfrentar pandemias mais graves do que aquela que estamos a viver, exortando a que seja levado muito "a sério" a preparação para os próximos combates.

"Este é um alerta", disse o diretor para as emergências em saúde, Michael Ryan, aos jornalistas numa conferência de imprensa que marcou um ano desde que a agência da ONU teve conhecimento da propagação do novo vírus na China. Desde então, a doença covid-19 matou quase 1,8 milhão de pessoas em todo o mundo, entre os mais de 80 milhões infetados.

"Esta pandemia foi muito severa", reconheceu Ryan. "Espalhou-se pelo mundo com extrema rapidez e afetou todos os cantos do planeta, mas esta pandemia não é necessariamente a maior."

Sublinhou que, embora o vírus seja "muito transmissível e mata pessoas... a sua taxa de letalidade atual é razoavelmente baixa em comparação com outras doenças emergentes".

"Precisamos de estar preparados para algo que pode ser ainda mais grave no futuro."

O conselheiro sénior da OMS, Bruce Aylward, também advertiu que, embora o mundo tenha feito um enorme progresso científico para lidar com a crise do novo coronavírus, incluindo o desenvolvimento de vacinas em tempo recorde, continuamos longe de estar preparados para evitar futuras pandemias.

"Estamos na segunda e na terceira ondas deste vírus e ainda não estamos preparados para lidar com pandemias e a sua gestão", afirmou na conferência de imprensa. "Embora estejamos mais bem preparados ... não estamos totalmente preparados para esta [pandemia], muito menos para a próxima."

OMS pede mais ambição


O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, manifestou esperança de que a pandemia covid-19 tenha ajudado o mundo a preparar-se para enfrentar as futuras ameaças.
"Em termos de consciencialização, penso que agora estamos a conseguir", disse. Mas alertou: "vai ser necessária mais ambição."

Tedros Adhanom Ghebreyesus aproveitou para destacar a forma como os cientistas de todo o mundo estão a trabalhar juntos para ajudar a acabar com a pandemia.

Referiu especificamente as duas novas variantes do novo coronavírus que surgiram no Reino Unido e na África do Sul, que parecem ser mais infecciosas do que as estirpes anteriores.
"Estamos a trabalhar com cientistas no Reino Unido e na África do Sul que realizam estudos epidemiológicos e laboratoriais, que vão orientar as próximas etapas",

O diretor-geral da OMS salientou que é preciso aumentar a capacidade de os laboratórios em todo o mundo serem capazes de descobrir as sequências genómicas das mutações do vírus que forem aparecendo, o que só se consegue com testagem.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG