Reino Unido festejou a "Freedom Monday": o regresso dos abraços e das cervejas nos pubs

Das tradicionais "pints" (canecas de cerveja) em ambientes fechados a sessões de cinema e... ao regresso oficial dos abraços aos entes queridos, a maior parte da Grã-Bretanha viu uma redução significativa das restrições ao coronavírus nesta segunda-feira, apesar dos novos temores sobre a variante indiana mais transmissível.

O levantamento de restrições nos econtros em espaços fechados em toda a Inglaterra, País de Gales e grande parte da Escócia foi festejado como a Freedom Monday (Segunda-feira da libertação)- como foi batizado pelos tabloides britânicos..

No pub North Western em Liverpool, um barman mascarado enchia canecas de cerveja e os clientes voltaram a deliciar-se com um English Breakfast (Pequeno-almoço inglês) completo - com bacon, ovos, salsicha e feijão, como deve ser.

Os visitantes também voltaram aos cinemas, galerias, museus e teatros, enquanto as aulas de ginástica indoor foram retomadas e as instalações desportivas abriram as portas pela primeira vez em meses.

Muitas pessoas voltaram a comer e beber no centro de Londres, em Leicester Square, mas as muitas lojas fechadas com tábuas eram um lembrete da força destrutiva da pandemia.
"O que é bom é ver pessoas que não conhecemos. Ver pessoas felizes, pessoas a sorrir e a divertirem-se", contou à reportagem da AFP Yara Mahran, de 24 anos, pouco antes de entrar no cinema Vue.

Ali perto, o bairro de Chinatown estava agitado, enquanto os apostadores, incluindo Ian Jones de 57 anos e os seus amigos do póquer, voltaram à mesa pela primeira vez em mais de um ano. "Para mim, (pôquer) era um estilo de vida", disse Jones. "Com o confinamento, fiquei muito perturbado."

Regresso dos abraços e das viagens

Os turistas britânicos começaram a viajar para Portugal, devido ao levantamento das restrições para países selecionados, proporcionando uma trégua após meses de medidas de permanência em casa e também um impulso para as companhias aéreas e empresas de turismo.

O mais celebrado, porém, foi mesmo o fim oficial do distanciamento social dentro das casas particulares, permitindo que familiares possam voltar a abraçar-se sem restrições. "Na verdade, sinto-me um pouco emocionada ao dizer isto ... todos podemos abraçar os nossos entes queridos novamente", disse a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, qualificou este como um "outro marco no nosso roteiro para sair do confinamento". Mas Boris ainda pediu cautela, alertando: "Lembre-se de que o contato próximo, como abraços, é uma forma direta de transmitir a doença."

O próximo passo da Grã-Bretanha para suspender completamente as restrições deve ocorrer em 21 de junho, mas essa etapa está sob ameaça devido ao aumento dos casos da variante do coronavírus que surgiu pela primeira vez na Índia.

Para já, mais de 36,5 milhões de pessoas receberam pelo menos uma dose da vacina Covid-19 no Reino Unido e 20 milhões receberam as duas doses - mas os governantes querem um maior ritmo para evitar atrasos na reabertura total.

As preocupações com a variante indiana

Alguns restaurantes, como o Hard Rock Cafe de Londres, saudaram a reabertura ampliada nesta segunda-feira, depois de terem começado a receber de volta os comensais, para refeições ao ar livre, cinco semanas antes.

Mesmo com a suspensão das medidas de confinamento, as segundas doses de vacinação foram antecipadas como uma precaução para proteger as pessoas com mais de 50 anos e pessoas clinicamente vulneráveis, face à crescenta ameça da variante indiana.

No entanto, o secretário de Saúde Matt Hancock disse que novas evidências científicas sugerem que as vacinas aprovadas para uso no Reino Unido são eficazes contra a variante indiana.

Os casos dessa estirpe em todo o país subiram de 1.313 para 2.323 na última semana. O aumento está centrado nas cidades de Bolton e Blackburn, no norte da Inglaterra, que têm uma população significativa com raízes no sul da Ásia.

O governo inglês, que lançou uma nova campanha em todo o país, nesta segunda-feira, a encorajar as pessoas a abrir as janelas em reuniões em espaço interiores de forma a conter o vírus, alertou que a variante indiana pode "espalhar-se como um incêndio entre os grupos não vacinados". E não descartou a aplicação de mais restrições localizadas.

Já prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse à Sky News que deseja ter "flexibilidade para dar a vacina também aos jovens, nas zonas de Londres onde estamos preocupados com esta variante".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG