Rei da Holanda vai deixar de usar coche dourado com imagem de negros escravizados

No centro da polémica está uma foto no painel do lado esquerdo do coche, chamado de "Homenagem às Colónias", e que mostra negros ajoelhados a entregar produtos como cacau e cana-de-açúcar a pessoas brancas.

O Rei da Holanda, Willem-Alexander, anunciou na quinta-feira que vai deixar de usar o coche dourado real, que contém imagens de negros escravizados e tem estado a protagonizar uma polémica nos Países Baixos.

O coche puxado por cavalos, chamado "De Gouden Koets", que tradicionalmente transporta o monarca holandês em eventos estatais, não é usado desde 2015.

No centro da polémica está uma foto no painel do lado esquerdo do coche, chamado de "Homenagem às Colónias", e que mostra negros ajoelhados a entregar produtos como cacau e cana-de-açúcar a pessoas brancas, incluindo uma jovem num trono a representar a Holanda. Ao lado dela, um jovem branco dá um livro a um menino negro enquanto este é apresentado pelo seu pai subserviente, uma imagem que o pintor Nicolaas van der Waay disse em 1896 que pretendia retratar a "civilização".

"Não podemos reescrever o passado, mas podemos tentar aceitálo juntos. Isso também se aplica ao passado colonial", disse o rei holandês num vídeo oficial. "O Gouden Koets só poderá ser usado quando a Holanda estiver pronta para isso. E neste momento esse não é o caso", prosseguiu.

"Enquanto houver pessoas a viver na Holanda que sintam a dor da discriminação diariamente, o passado ainda lançará uma sobre sobre o nosso tempo", frisou.

Após uma remodelação que durou cinco anos, o coche real tornou-se a peça central de uma exposição na capital dos Países Baixos, Amesterdão, sobre o passado colonial da Holanda.

Nos Países Baixos, como noutras nações europeias, o debate sobre o passado colonial e a escravidão ressurgiu desde o surgimento do movimento Black Lives Matter nos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG