Exclusivo Provocações marítimas de olho em Viena

Enquanto a ala moderada do regime tenta dar segunda vida ao acordo nuclear, os Guardas da Revolução hostilizam os EUA no mar.

Dois incidentes entre embarcações dos Guardas da Revolução iranianos e navios da Marinha e da Guarda Costeira dos Estados Unidos em menos de um mês voltam a subir o tom entre os dois países num momento em que as negociações entre os signatários do acordo nuclear foram retomadas em Viena e que uma gravação do ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano incide luz sobre o verdadeiro poder naquele país.

Na segunda-feira à noite o navio de patrulha USS Firebolt disparou tiros de aviso dada a aproximação de três lanchas rápidas de ataque dos Guardas da Revolução, as quais distaram apenas 62 metros daquele navio da Marinha bem como do USCGC Baranoff, da Guarda Costeira, quando estes navegavam no Golfo Pérsico. Os EUA têm uma base da Guarda Costeira em Manama, no Bahrein.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG