Príncipe Harry quer recuperar proteção da Scotland Yard

Neto da Rainha Isabel II sente-se inseguro para voltar a Inglaterra sem proteção.

O Príncipe Harry entrou com uma ação na Justiça britânica a exigir que o governo britânico garanta a sua segurança e da sua família em solo britânico. O neto da Rainha Isabel II e a mulher Meghan Markle perderam o direito à segurança da Scotland Yard após a saída formal da Família Real Britânica e a mudança para os EUA.

Um representante legal de Harry e Meghan disse ao jornal The Sun que o príncipe e a mulher têm uma viagem planeada a Inglaterra com os filhos - Archie, de dois anos, e Lilibet Diana, de sete meses-, mas sentem-se expostos e inseguros, pedindo por isso o apoio da equipa de segurança que tinham. "O Príncipe Harry herdou riscos de segurança ao nascer, para a vida inteira. Ele continua a ser o sexto na linha de sucessão ao trono, serviu duas vezes no Afeganistão e nos últimos anos a sua família foi alvo de ameaças documentadas de neonazis e extremistas", defendeu o representante, acrescentando que "por mais que o seu papel na monarquia tenha mudado, o seu perfil como membro da Família Real não mudou. Nem as ameaças a ele e aos seus familiares".

Segundo a Sky News, Harry considera que a equipa privada de proteção que tem nos EUA não tem jurisdição adequada em solo britânico, nem acesso à informação dos serviços de inteligência e por isso quer a proteção da Scotland Yard. E está disposto a pagar a segurança o seu bolso, mas o Home Office britânico (equivalente ao Ministério da Administração Interna português) recusou a pretensão, numa decisão da que Harry procura recorrer.

Harry e Meghan, Duque e a Duquesa de Sussex, anunciaram a renúncia em janeiro de 2020 e deixaram oficialmente as funções que exerciam na Casa Real Britânica em abril de 2020, mudando-se para os EUA. Nessa altura, os gastos públicos com a segurança do casal andavam à volta de 600 mil libras.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG