Prémio Nobel de Química de 2010 morreu aos 85 anos

O japonês Ei-ichi Negishi foi distinguido com o Nobel por criar produtos químicos complexos necessários para a elaboração de medicamentos e produtos eletrónicos.

O químico japonês Ei-ichi Negishi, que ganhou o Prémio Nobel da Química de 2010 por desenvolver um método para criar produtos químicos complexos necessários para a elaboração de medicamentos e produtos eletrónicos, faleceu aos 85 anos, informou a universidade onde lecionava nos Estados Unidos.

Negishi morreu no domingo passado em Indianápolis, de acordo com um comunicado divulgado na sexta-feira pela Purdue University, que detalha que sua família repatriará o corpo para o Japão no próximo ano.

Este cientista formou-se na Universidade de Tóquio e trabalhou com o gigante químico japonês Teijin antes de ir para os Estados Unidos, quando obteve uma bolsa Fulbright em 1960.

Em 2010 ganhou o Nobel de Química com seu compatriota Akira Suzuki e o americano Richard Heck.

Graças ao trabalho dos três, a química orgânica tornou-se "uma forma de arte, na qual os cientistas produzem criações químicas em tubos de ensaio", dizia a citação do prémio.

Negishi comparava o seu trabalho a fazer construções com Lego. "Encontramos catalisadores e criamos reações que permitem que compostos orgânicos complexos se liguem a outros compostos para construir os materiais desejados de forma mais económica e eficiente", disse, segundo uma citação no comunicado da universidade. "Os legos podem combinar-se para fazer coisas de qualquer forma, cor e tamanho, e as nossas reações tornam isso possível para os compostos orgânicos".

De acordo com a universidade, o trabalho de Negishi é amplamente utilizado, desde o sequenciamento de DNA até à criação de produtos químicos que protegem as plantações de fungos ou materiais para telas de LED.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG