Polícia turca prende dezenas de pessoas em manifestação do 1.º de Maio

Dezenas de pessoas procuravam manifestar-se apesar da proibição das autoridades sanitárias por causa da pandemia.

A polícia turca deteve este sábado dezenas de pessoas que tentavam participar numa manifestação do 1.º de Maio em Istambul, na Turquia, apesar de a concentração ter sido proibida devido à pandemia da covid-19.

Segundo os relatos de correspondentes da agência France-Presse (AFP), pelo menos 100 manifestantes foram presos enquanto tentavam chegar à praça Taksim, um palco habitual de protestos, assim como a outras zonas, como a avenida Istiklal.

De acordo com um dos correspondentes da agência de notícias francesa, alguns agentes policiais empurraram violentamente um grupo com os seus escudos, enquanto outros arrastaram manifestantes pelo chão.

De acordo com a Associação de Advogados Contemporâneos de Istambul, especializada na defesa de casos politicamente delicados, cerca de 170 pessoas foram detidas.

A Turquia implementou na passada quinta-feira medidas rígidas de contenção devido a uma terceira vaga da pandemia, na sequência da qual se têm registado recordes diários de mortes.

Na sexta-feira, segundo os dados oficiais, pelo menos 394 pessoas morreram de covid-19 no país.

As detenções no 1.º de Maio, Dia do Trabalhador, são comuns na Turquia.

A praça Taksim é um ponto de encontro habitual neste dia feriado, registando-se confrontos frequentes desde que, no 1.º de Maio de 1977, 34 pessoas foram ali mortas durante um período turbulento da história moderna da Turquia.

Pelo menos 11 pessoas foram também hoje detidas em Ancara após tentarem manifestar-se, segundo os meios de comunicação locais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG